Total de visualizações de página

Follow by Email

novembro 03, 2012

Sociologia: Etnocentrismo, relativismo cultural e multiculturalismo -3001-3002



 Etnocentrismo, relativismo cultural e multiculturalismo

MULTICULTURALISMO
O Multiculturalismo ou Relativismo Cultural é uma ideologia político-social que defende a validade e a riqueza de qualquer sistema cultural e nega qualquer valorização moral e ética dos mesmos.
O relativismo cultural defende que o bem e omal, o certo e o errado, e outras categorias de valores são relativos a cada cultura. O "bem" coincide com o que é "socialmente aprovado" numa dada cultura. Os princípios morais descrevem convenções sociais e devem ser baseados nas normas da nossa sociedade.
INTERCULTURALISMO
O interculturalismo é a integração de indivíduos e grupos étnicos minoritários numa sociedade com uma cultura diferente. Assim, estas minorias étnicas poderiam expressar e manter elementos distintivos da sua cultura ancestral, especialmente em relação à língua e à religião.
Ex:A integração de estudantes africanos nas escolas portuguesas prende-se diretamente com o conceito de interculturalismo
Podemos dizer que o interculturalismo defende a ausência de desvantagens sociais e económicas ligadas a aspectos étnicos ou religiosos; a oportunidade de participar nos processos políticos, sem obstáculos do racismo e da discriminação e o envolvimento de grupos minoritários na formulação e expressão da identidade nacional.
modelo intercultural afirma-se no cruzamento e miscigenação cultural, sem imposições.
O interculturalismo consiste em pensar que nós nos enriquecemos através do conhecimento de outras culturas e dos contatos que temos com elas e que desenvolvemos a nossa personalidade ao encontrá-las. As pessoas diferentes deveriam poder viver juntas apesar de terem culturas diferentes. O interculturalismo é a aceitação e o respeito pelas diferenças. Crer no interculturalismo é crer que se pode aprender e enriquecer através do encontro com outras culturas.
A ONU é uma organização que integra pessoas de culturas diferentes, que lutam por um bem comum, ajudando a integrar outras culturas noutras comunidades.

UNIDOS PARA UMA AÇÃO INTERCULTURAL
ETNOCENTRISMO
O etnocentrismo é a atitude pela qual um indivíduo ou um grupo social, que se considera o sistema de referência, julga outros indivíduos ou grupos à luz dos seus próprios valores. Pressupõe que o indivíduo, ou grupo de referência, se considere superior àqueles que ele julga, e também que o indivíduo, ou grupo etnocêntrico, tenha um conhecimento muito limitado dos outros, mesmo que viva na sua proximidade.
O termo etnocentrismo foi utilizado pela primeira vez em 1906, e corresponde à atitude pela qual os hábitos ou comportamentos próprios são acriticamente encarados como sendo indiscutivelmente superiores aos hábitos ou comportamentos de outrem.
«É a atitude pela qual um indivíduo ou um grupo toma como referência os valores partilhados no seu próprio grupo, quando avalia os mais variados assuntos.
«É uma atitude que encara o próprio grupo como se fosse o centro da realidade.
«O termo é também utilizado para criticar os cientistas sociais que apresentam visões acusadas de estreitas e preconceituosas acerca dos grupos ou sociedades estudados.
EX: temos o regime Nazista, que acreditava na sua supremacia e que deveria existir apenas uma única raça, a Ariana.  As pessoas que não correspondiam à definição da constituição física desta raça eram executadas.

O etnocentrismo é considerado um julgamento da cultura do “outro”, em que a nossa cultura é tomada como única referência. Dessa forma negamos o “outro” muitas vezes sem mesmo conhecer melhor a sua cultura, criamos assim uma imagem distorcida e manipulada da realidade social e cultural. Quando nossas atitudes ou olhares sobre o “outro” são caracterizados pelo etnocentrismo, a nossa sociedade é representada como melhor e superior, como modelo de cultura e civilização. Ao passo que a sociedade, a cultura, ou até mesmo o próprio “outro” é considerado inferior, atrasado, selvagem. Isso lhe faz lembrar algo? Alguma semelhança com o primeiro conta todos europeus com os povos da América?
Mas como falamos anteriormente, não precisamos ir muito longe nem no tempo, nem no espaço; no nosso dia-a-dia muitas vezes temos atitudes como estas diante de grupos com os quais temos contato quase que diário negros, mulheres, homossexuais, portadores de necessidades especiais, moradores de rua, idosos, acabam sendo rotulados ou estereotipados por nós quando nos deparamos com seu modo de ser e viver, eventualmente diferente do nosso. Ao transformarmos as diferenças em obstáculos para nos aproximarmos ou nos relacionarmos com tais pessoas e emitir juízo de valor sobre seu modo de ser e viver estamos tendo atitudes etnocêntricas.

RELATIVISMO  CULTURAL
Princípio que afirma que todos os sistemas culturais são intrinsecamente iguais em valor, e que os aspectos característicos de cada um têm de ser avaliados e explicados dentro do contexto do sistema em que aparecem.
Ex: A comunidade Hippie é um exemplo de relativismo cultural, são respeitados pela sociedade e respeitam-na, mas não vivem segundo os seus costumes e ideais, e vivem  sem seguir as tendências da sociedade.

ETNOCENTRISMO E  RELATIVISMO CULTURAL
Você já ouviu falar destes dois termos? Imagino que você deva estar aprendendo um monte de coisas novas, termos e conceitos, não é? Esperamos que eles sejam de muita valia para a sua vida profissional e pessoal. Você lembra que em alguns momentos falamos que os europeus, quando se lançaram ao mar nas grandes navegações, consideravam o “outro” – geralmente o nativo das terras “recém-descobertas” – inferior? E você lembra porque eles se referiam ao outro desta maneira? Pois bem, agora você vai estudar um pouco mais sobre um importante conceito que está intrínseco nestas ideias e em muitas outras de grandes pensadores, antropólogos, historiadores e até cientistas que entraram em contato com povos desconhecidos e desenvolveram estudos acerca dos mesmos, e que muitas vezes ainda se fazem presentes nas atitudes das pessoas mais comuns – como nós! Ao depararmos com formas de viver e de ver o mundo diferente das nossas, muitas vezes acabamos emitindo juízos de valor acerca de tais realidades, essa observação nos remete ao que pode ser chamado de etnocentrismo.
As culturas são diferentes umas das outras, e nesse sentido o relativismo cultural defende o pressuposto de que as análises e estudos devem ser sempre relativas a cultura na sua origem, sendo assim impossível a aplicação de normas e valores absolutos em tais estudos.
Relativizar, portanto, é não transformar a diferença em hierarquia, não valorar aos seres humanos com base em critérios de superioridade e de inferioridade, ou conceber diferentes culturas sob uma perspectiva dicotômica de bem e mal; é preciso vê-las sob sua dimensão de riqueza, o que de corre da diferença.


Nenhum comentário:

Postar um comentário