Total de visualizações de página

Follow by Email

fevereiro 21, 2015






C.E. Pedro Álvares Cabral

Temas dos projetos de 2015
Prof. Rita MacCord

Trabalhando projetos
(Temas a se trabalhar este ano nunca esquecendo que fazemos  450  anos da idade do Rio de Janeiro , e  que  o tema Internacional proposto pela UNESCO é  Luz )

 

-80 anos da Bomba Atômica

-Terra Planeta água?

-21 anos de Apartheid

-240 anos do Iluminismo = Luz = Ideias = liberdade(1776/1789)

-1º de  março de 1565 – 450 anos fundação da Cidade do Rio de Janeiro

- Movimento indígena na formação do Rio de Janeiro /Estácio de Sá/ São Sebastião

-www.rio450anos.com.br – calendário de comemoração da Cidade do Rio de Janeiro

-55 anos de Brasília

-Memória Carioca

-Passaporte para os museus

 

 üNas  artes , cinema, literatura e jornalismo, exemplos,  temos:

100 anos de:

ŸFernando Lobo

ŸOrlando Silva

ŸGrande Otelo

Ÿ Zé Trindade

ŸFrank Sinatra

ŸEdith Piaf

ŸLeda Gontijo

 

ü100 anos da morte de “Mário Pederneiras, poeta e jornalista ,.(O Mar)

                                         

üAno Internacional da Luz (UNESCO)

 

2015 - O ANO INTERNACIONAL DA LUZ 
Unesco declara 2015 como o Ano Internacional da Luz e mobiliza campos científico e social no mundo todo
Com a definição de anos temáticos, articulando ações com organizações de todo o mundo, as agências da ONU ajudam a pautar programas e projetos de governos, empresas e organizações da sociedade civil. Orientada por uma ampla agenda, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) mobiliza setores e provoca transformações. Em 2015 será a vez do tema energia ganhar destaque.

Definido como o Ano Internacional da Luz e das Tecnologias baseadas em Luzes (IYL), 2015 será o momento para discutir a importância da luz na construção de um futuro mais sustentável e mais pacífico. Além do caráter simbólico, o marco também deve inspirar pesquisas para a exploração responsável de recursos naturais.

O lançamento oficial acontece nos próximos dias 19 e 20 na sede da organização, em Paris. O evento dá início a uma série de atividades que devem acontecer até dezembro em países dos cinco continentes. De acordo com a Unesco, essa é uma grande oportunidade de chamar a atenção global sobre como as tecnologias baseadas na luz podem fornecer soluções aos desafios mundiais de energia, educação, agricultura e saúde. Segundo a organização, essas tecnologias têm o potencial de transformar o século 21 assim como a eletrônica transformou o século 20.

Em seu manifesto, a agência argumenta que a luz desempenha um papel vital em nossa vida diária e é uma disciplina transversal da ciência no século 21. Ela revolucionou a medicina, viabilizou a comunicação internacional por meio da Internet, e continua a ser central para a ligação entre os aspectos culturais, econômicos e políticos da sociedade global.

“O Ano Internacional da Luz é uma enorme oportunidade para reforçar que os formuladores de políticas internacionais e demais stakeholders estejam cientes do potencial de resolução de problemas que a tecnologia de luz oferece. Temos agora uma oportunidade única para aumentar a consciência global sobre isso”, explica John Dudley, presidente do Comitê Gestor do IYL 2015.

O presidente da International Society for Optics and Photonics (Sociedade Internacional de Óptica e Fotônica), Philip Stahl, importante parceiro da iniciativa, também acredita que 2015 será um marco para a comunidade científica e investidores socioambientais.
"O Ano Internacional da Luz vai ajudar a aumentar a conscientização sobre as possibilidades inerentes à ciência e à engenharia baseadas na luz, e inspirar uma nova esperança para aqueles que ainda estão à espera de soluções para seus desafios."

Ao longo do ano, a Unesco vai reunir sociedades científicas, instituições educacionais, ONGs e o setor privado interessados em discutir o tema e pensar novas soluções para problemas atuais e futuros. A ideia é que esse coletivo de pensadores e investidores possam vislumbrar e defender o uso de tecnologias para melhorar a qualidade de vida nos países desenvolvidos e em desenvolvimento.

Investidores sociais podem perceber na programação uma grande oportunidade para construir parcerias, promover suas ações e atuar em uma iniciativa de abrangência global. Os comitês regionais da Unesco estão articulando atividades que devem fazer parte da programação anual. Todos os contatos estão disponíveis no site do IYL 2015.

Ainda no site, criado especialmente para celebrar o tema, é possível encontrar uma série de conteúdos para serem trabalhados com crianças, adolescentes e adultos. Estão disponíveis textos, álbuns de fotos, vídeos e materiais para download.

Programação mobiliza diversos agentes da sociedade

Todas as atividades já programadas estão listadas em um grande calendário online. É possível conhecer as ações que serão realizadas em escala global e também fazer um filtro por país. Um exemplo é a série de palestras “Einstein no 3o Milênio” que acontece de 3 de março a 28 de abril em Belo Horizonte (MG). A ideia é levar informação sobre física contemporânea para não-especialistas. Confira.

Outro destaque é o International Year of Light Science Show, que acontece em São Carlos (SP) nos dias 17 e 18 de julho. A cidade de São Paulo também será palco do L-RO - Creating Light for Coexistence. O evento, que acontece de 15 a 19 de agosto,  busca discutir a importância da luz sob uma perspectiva social.

Confira a programação completa.

Histórico de mobilização social 


A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) tem ampla experiência na criação de anos temáticos ligados a causas urgentes da sociedade moderna. A intenção é promover a livre circulação de ideias, estimular a criação e a criatividade, financiar atividades em diversas regiões do mundo, promover pesquisas e orientar a exploração sustentável de recursos naturais.
A expectativa da Unesco é que as atividades de 2015, durante o Ano Internacional da Luz, obtenham o mesmo sucesso que teve o tema agricultura familiar. Confira o vídeo inspiracional desenvolvido para celebrar a data e promover a iniciativa.
:: Fonte: GIFE 
___
Fontes e referências de pesquisa
:: PERES, Nuno; CUNHA, Luís. 2015 - O Ano Internacional da Luz. Ciência - Universidade do Minho - Escola de Ciência. Disponível no link. (acessado em 02.02.2015).
:: SANTOS, Carlos Alberto dos. 2015 - O Ano Internacional da Luz. Instituto Ciência Hoje, 05 set. 2014. Disponível no link. (acessado em 02.02.2015).
:: A Luz « Ano Internacional da Luz 2015.
::
UNESCO - 2015 - Ano Internacional da Luz.

 

setembro 09, 2013

Rasgando a Constituição e Dispositivos Legais - Medicos Cubanos

Rasgando a Constituição e os Dispositivos Legais
Alexandre Garcia

MÉDICOS CUBANOS
.....acabou a escravidão?

 

Não pensem em correntes. Em algemas. Em porões fétidos. Em gente suja e maltrapilha. Estes são os escravos normalmente libertos das pequenas confecções das grandes cidades, vindos de países miseráveis.
Agora pense em pessoas vestidas de branco. Com diplomas universitários. Que exibem sorrisos simpáticos e uma grande alegria em servir o próximo, como se estivessem em uma missão humanitária. Estes são os médicos escravos cubanos que o Brasil vai traficar, cometendo toda a sorte de crimes hediondos contra os direitos humanos, que só republiquetas totalitárias, a exemplo da Venezuela, ousaram cometer.
E vamos aqui deixar ideologias de lado. E até mesmo as discutíveis competências profissionais. Vamos ser civilizados e falar apenas de pessoas, de seres humanos, de gente.
O Brasil democrático é signatário de uma dezena de tratados internacionais que protegem os trabalhadores. No entanto, o Governo do PT está firmando um convênio com Cuba, um país que está traficando pessoas para fins econômicos. Cuba esta vendendo médicos. Cuba utiliza de coerção, que é crime, para que estes escravos de branco sejam enviados, sem escolha, para onde o governo decidir. Isto é crime internacional. Hediondo. Que nivela o Brasil com as piores ditaduras.

E não venham colocar a Organização Pan Americana de Saúde como escudo protetor destes crimes contra a Humanidade. É uma entidade sabidamente aparelhada por socialistas, mas que, ao que parece, pela primeira vez assume o papel de "gato", o operador, o intermediário, aquele que aproxima as partes, que fecha o negócio, que "lava" as mãos dos criminosos que agem nas duas pontas. Não há como esconder que o Governo do PT está pagando a Ditadura de Cuba para receber mão-de-obra em condições análogas à escravidão, como veremos neste post.

O trabalhador estrangeiro tem, no Brasil, os mesmos direitos de um trabalhador brasileiro. Tem os mesmos ônus e os mesmos bônus. Não é o que acontece neste convênio que configura um verdadeiro tráfico em massa de pessoas de um país para outro. Os escravos cubanos não pagarão Imposto de Renda e INSS. Sobre um salário de R$ 10 mil, deveriam reter mais de R$ 2.700. Pagariam em torno de R$ 400 de INSS. Mas também teriam direito ao FGTS, ao aviso prévio, às férias, ao décimo-terceiro salário. Não é o que acontece. O escravo cubano não recebe o seu salário. Ele é remetido para um governo de país. É como se este país tivesse vendido laranjas. Charutos. Rum. Ou qualquer commodities. A única coisa que o trabalhador recebe é uma ajuda de custo para tão somente sobreviver no país pois, em condição análoga à escravidão, este médico cubano receberá alojamento e comida das prefeituras municipais. Trabalhará, basicamente, por cama, comida e sem nenhum direito trabalhista.

Outro crime do qual o Governo do PT é mentor, é idealizador, é fomentador, é financiador, é concordar com as práticas de coerção exercida por Cuba quando vende os seus médicos escravos. O passaporte é retido pela Embaixada de Cuba no Brasil. A família fica em Cuba, sem poder sair do país. O escravo cubano não pode mudar de emprego, pois se o fizer a sua família sofre perseguição. Existe ameaça. Existe abuso de autoridade. Existe abuso de poder econômico. Existe retenção de documento para impedir a livre locomoção. Existe lesão ao Fisco. Sonegação. E, por conseguinte, sendo dinheiro originário de crimes, remessa ilegal de divisas do Governo do PT para a Ditadura de Cuba.

Este convênio que o Governo do PT está fazendo com Cuba não resiste a uma fiscalização do Ministério do Trabalho e a uma auditoria do Ministério Público. São tantos os crimes cometidos contra a Humanidade e contra os Direitos Humanos que envergonham a todos os brasileiros. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, candidato ao governo de São Paulo, deveria ir a ferros junto com os bandidos mensaleiros do seu partido. A ministra dos Direitos Humanos, Maria o Rosário, está em silêncio obsequioso.
A partir do momento em que 4.000 cubanos botarem o pé no solo brasileiro, nosso país terá se transformando num campo de concentração e numa imensa prisão para escravos políticos. A nossa Constituição será rasgada, pois:

Art. 5º. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
(...)
III – ninguém será submetido à tortura nem a tratamento desumano ou degradante;

Da mesma forma, o Governo do PT está jogando no lixo o Decreto nº 5.948, de 26 de Outubro de 2006, que trata da Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, que tem definições fundamentais sobre o tema:

Art. 2°. § 4o A intermediação, promoção ou facilitação do recrutamento, do transporte, da transferência, do alojamento ou do acolhimento de pessoas para fins de exploração também configura tráfico de pessoas.

Art. 2°. § 5° O tráfico interno de pessoas é aquele realizado dentro de um mesmo Estado-membro da Federação, ou de um Estado-membro para outro, dentro do território nacional.
Art. 2o. § 6° O tráfico internacional de pessoas é aquele realizado entre Estados distintos.
Art. 2° § 7o O consentimento dado pela vítima é irrelevante para a configuração do tráfico de pessoas.
Ou seja: o que determina se existe a escravidão não é o depoimento do escravo, pressionado por dívidas, sem documentos ou tendo a integridade da sua família ameaçada, mas sim o que a sua situação configura, mediante fiscalização.

Com a importação em massa dos médicos escravos cubanos. os acordos internacionais firmados pelo Brasil contra a escravidão serão derrogados. Não seremos mais uma democracia. Se alguém tem alguma dúvida sobre isso, leia o MANUAL DE COMBATE AO TRABALHO EM CONDIÇÕES ANÁLOGAS ÀS DE ESCRAVO, publicado pelo Ministério do Trabalho.
E sinta vergonha, talvez um pouco de medo, de ser brasileiro.

Eu desafio o Governo do PT a exigir que o médico cubano tenha em mãos o seu passaporte.
Eu desafio o Governo do PT a exigir que o médico cubano tenha uma Carteira de Trabalho.
Eu desafio o Governo do PT a depositar o salário do médico cubano em uma conta pessoal, que lhe garanta livre movimentação.
Eu desafio o Governo do PT a garantir todos os direitos trabalhistas ao médico cubano.
Eu desafio o Governo do PT a cumprir a Lei, a Constituição e os Tratados Internacionais.



"A prisão não são as grades, e a liberdade não é a rua; existem homens presos na rua e livres na prisão. É uma questão de consciência." (Mahatma Gandhi)

 


março 10, 2013

Divisão da História-1º ano

HISTÓRIA-1º ANO

DIVISÃO DA HISTÓRIA
HISTÓRIA GERAL
- Pré-História: antes do surgimento da escrita, ou seja, até 4.000 a.C.
- Idade Antiga (Antiguidade): de 4.000 a.C até 476 (invasão do Império Romano)
- Idade Média (História Medieval): de 476 a 1453 (conquista de Constantinopla pelos turcos otomanos).
- Idade Moderna: de 1453 a 1789 (Revolução Francesa).
- Idade Contemporânea: de 1789 até os dias de hoje.

É evidente que a divisão da História em períodos tem hoje, mais um caráter didático do que propriamente histórico. De uma maneira geral, a atual divisão da história em períodos peca sobretudo porque:
a) tem em conta somente a civilização ocidental, desprezando as culturas do Oriente;
b) os períodos históricos são desigualmente distribuídos quanto a sua extensão.
c) obriga a uma série de subdivisões que nem sempre se coadunamI com a divisão geral.

Diante do exposto, aceita-se a divisão tradicional, levando-se em conta, porém, o valor relativo. Uma primeira grande divisão da História é baseada no fato de haver o homem deixando a posteridade documentos escritos.

•Vamos começar a estudar pela transição da Idade Média para a Moderna:
®A transição do feudalismo para o capitalismo, ou seja, da Idade Média para a Moderna está relacionada com alguns acontecimentos que ocorreram na Europa a partir do século XIV.
®Peste Negra (ou Peste Bubônica) que matou 1/3 da população europeia
®Crise da produção de alimentos consequência da morte de parte da população.
®Guerra dos Cem anos entre Inglaterra e França
As principais transformações estão relacionadas com o fortalecimento do comércio, consequência das cruzadas:
® o renascimento comercial e urbano e o
®surgimento da burguesia no período de declínio dos nobres que perderam suas terras (feudos) para o Rei absolutista.
®Formação do Estado moderno
A Idade Moderna é o período compreendido entre os anos de 1453 (queda de Constantinopla) e 1789 (Revolução Francesa). Nesse período aconteceram transformações sociopolíticas e econômicas que mudaram o curso da história.

OS TRÊS MOVIMENTOS QUE MARCARAM O INÍCIO DA IDADE MODERNA:
·           Renascimento Cultural
·           Reforma religiosa
·           Descobrimentos marítimos

AS QUATRO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA IDADE MODERNA:
·         Capitalismo comercial
·         Descoberta e conquista de novos territórios
·         A submissão das Américas ao imperialismo europeu
·         A formação dos Estados nacionais unificados sob o poder do rei absolutista
A Igreja Católica, a instituição mais poderosa da Idade Média perdeu seu poder e suas ideias e dogmas passaram a ser contestados.

A classe principal é a BURGUESIA, que não tinha terras, mas se enriqueceu e queria deixar de ser visto como pobre, queria mudanças sociais. A classe principal era a NOBREZA, que possuía terras (feudos) e, apoiada pela Igreja, não aceitava mudanças sociais
HELIOCENTRISMO
O sol como o centro do universo, se a terra se movimenta então a sociedade, também, pode ser modificada.

GEOCENTRISMO
A terra como o centro do universo. Ela não se movia, portanto a sociedade deveria ser imóvel.

ANTROPOCENTRISMO
O homem como o centro das explicações.

TEOCENTRISMO
Deus como centro das explicações. Racionalismo: toda explicação deve ser baseada na ciência e deve ser comprovada pela experiência (empírico).

FÉ E DOGMAS
A Igreja defendia verdades absolutas que não podiam ser questionadas e deveriam ser aceitas pela fé. Idade Moderna Idade Medieval

Consolidação dos Estados Nacionais



Na Idade Média tem-se o declínio de toda e qualquer atividade comercial. No final da Idade Média, porém, há o renascimento do comércio e o surgimento das ligas comerciantes – os burgueses. Junto à consolidação dos Estados Nacionais surge então, a necessidade de disciplinar a atividade comercial por parte do Estado. Da  consolidação  dos Estados Nacionais, surge o Estado Absolutista.
Características dos Estados Nacionais
Ø     Centralização e unificação administrativas (eliminação dos poderes locais e das cidades através da centralização do poder)
Ø     Surgimento da burocracia (grupo de pessoas especializadas nos negócios administrativos)
Ø     Formação de um exército (exército nacional)
Ø     Arrecadação de impostos nacionais (custear despesas com exército e burocratas)
Ø     Unificação monetária
Ø     Imposição da justiça real
Ø     Monarquia Absolutista, de direito divino
Ø     Território Nacional (unidade de fronteiras legais)
Ø     Língua nacional
Ø     Mercantilismo (entendido como a política e a prática econômica dos Estados Nacionais. O que a caracteriza é a intervenção estatal nos assuntos econômicos a efeito de dinamizar a economia nacional em proveito do fortalecimento do Estado).


Iluminismo , a luz da idade Moderna - 2º ano

O Iluminismo , A virada para a Idade Moderna: 2º ano-ensino médio



O Iluminismo , o Século das Luzes: 2º ano-ensino médio

A revolução intelectual que se efetivou na Europa, especialmente na França, no século XVIII, ficou conhecida como IluminismoLIBERDADE , IGUALDADE E FRATERNIDADE.
Colocando em destaque os valores da burguesia, o Iluminismo favoreceu ao aumento dessa camada social. Procurava uma explicação através da razão (ciência) para todas as coisas, rompendo com todas as formas de pensar até então consagradas pela tradição. Rejeitava a submissão cega à autoridade e a crença na visão medieval teocêntrica.
Para os iluministas só através da razão (ciência) o homem poderia alcançar o conhecimento, a convivência harmoniosa em sociedade, a liberdade individual e a felicidade. A razão (ciência) era, portanto, o único guia da sabedoria capaz de esclarecer qualquer problema, possibilitando ao homem a compreensão e o domínio da natureza.

As novas ideias conquistaram numerosos seguidores, a quem pareciam trazer luz e conhecimento. Por isto, os filósofos que as divulgaram foram chamados iluministas; sua maneira de pensar, Iluminismo; e o movimento, Ilustração.
As tendências que marcaram o Iluminismo foram: a valorização do culto da razão e predominância da ciência; crença no aperfeiçoamento do homem e a liberdade política, econômica e religiosa.
Os iluministas eram deístas, isto é, acreditavam que Deus está presente na natureza, portanto no próprio homem, que pode descobri-lo através da razão. Para encontrar Deus, bastaria levar vida piedosa e virtuosa; a Igreja tornava-se dispensável. Os seguidores do iluminismo criticavam-na por sua intolerância, ambição política e inutilidade das ordens monásticas (vinda de monges, autoridades religiosas).


èPrincipais pensadores , Filósofos do Iluminismo
1)Principais filósofos iluministas

a)- John Locke (1632-1704), ele acreditava que o homem adquiria conhecimento com o passar do tempo através do empirismo; Obra: Ensaio sobre o entendimento humano - Segundo ele, os homens em Estado de Natureza são livres, iguais e independentes na medida em que todos estão sujeitos às leis da natureza, que é a razão, não devendo abusar de sua liberdade para prejudicar os outros. Quem agride o outro está indo contra as leis naturais, renunciando à razão e dando aos outros o direito de castigá-lo, ocasionando as lutas. Não se trata mais de uma “guerra de todos contra todos” como teorizava Hobbes, mas de uma guerra dos “seguidores da lei da natureza contra os transgressores da lei da natureza”.Obra; “Segundo Tratado sobre o Governo Civil

b)- Voltaire (1694-1778), ele defendia a liberdade de pensamento e não poupava crítica a intolerância religiosa; Obra; “As criticas ao clero católico”

c)- Jean-Jacques Rousseau (1712-1778), ele defendia a ideia de um estado democrático que garanta igualdade para todos; Sua filosofia política exerceu grande influência no surgimento da Revolução Francesa. Suas teorias também provocaram grande impacto na educação, na literatura e na política. Obra: O contrato social”

d)- Montesquieu (1689-1755), ele defendeu a divisão do poder político em Legislativo, Executivo e Judiciário e examinou as três possíveis formas de governo: a democracia, a monarquia, o despotismo. Obra: “ O espírito das leis”

e)-Denis Diderot (1713-1784) e Jean Le Rond d´Alembert (1717-1783), juntos organizaram uma enciclopédia que reunia conhecimentos e pensamentos filosóficos da época. Obra: Enciclopedista juntamente com quase todos os outros filósofos iluministas, mas foi o principal.

f)- Bento de Espinosa (1632–1672) - defendeu principalmente a ética e o pensamento lógico;A sua filosofia funda-se numa concepção panteísta da realidade, na qual se identifica Deus com a Natureza. Para Espinosa só existe uma única substância ilimitada que se manifesta numa infinidade de forma e com infinitos atributos. Nega a imortalidade da alma e a natureza pessoal de Deus. Rejeitou o Livre-arbítrio, afirmando que a autodeterminação, isto é, agir em função da natureza de cada um, é a única liberdade possível. Esta concepção panteísta está bem patente nas suas concepções metafísicas, éticas e políticas.

g)- David Hume (1711-1776) - foi um importante historiador e filósofo iluminista escocês. Refutou o princípio da casualidade e defendeu o livre-arbítrio e o ceticismo radical.
h)- Gotthold Ephraim Lessing (1729-1781) - filósofo e dramaturgo alemão. Defendeu a liberdade de pensamento entre os cristão.

i)-Immanuel Kant (1724-1804) - importante filósofo alemão, desenvolveu seus pensamentos nas áreas da epistemologia, ética e Metafísica.

j)- Benjamin Constant (1767-1830) - escritor, filósofo e político francês de origem suíça. Defendeu, principalmente, ideais de liberdade individual.

l) Wilhelm Von Humboldt( Iluminista Alemão) (1767-1835) em duas obras de grande importância: “Sobre as diferenças da Estrutura Linguística Humana” e “Sobre o estudo comparado da linguagem em relação com as diversas épocas da sua evolução”
Humboldt desenvolve suas teorias linguísticas à luz de algumas hipóteses de Kant, Leibniz e Vico, transferindo-as do plano – gnosiológico, metafísico ou histórico – no qual tinham sido inicialmente elaboradas, para o da linguagem.
De Kant, Humboldt retoma a hipótese de que o objeto, enquanto “fenomênico”, não se contrapõe ao conhecimento como algo estranho e transcendente, mas “é tornado possível”, condicionado e constituído pelas categorias próprias do conhecimento e por elas somente.

Iluministas , Filósofo e Cientistas, colaboraram com a ciência moderna:
"Nos séculos XVII e XVIII, enquanto as idéias iluministas se espalhavam pela Europa, uma febre de novas descobertas e inventos tomou conta do continente. O avanço científico dessa época colocou à disposição do homem informações tão diferentes quanto a descrição da órbita dos planetas e do relevo da Lua, a descoberta da existência da pressão atmosférica e da circulação sangüínea e o conhecimento do comportamento dos espermatozóides.
A Astronomia foi um dos campos que deu margem às maiores revelações. Seguindo a trilha aberta por estudiosos da Renascença, como Copérnico, Kepler e Galileu, o inglês Isaac Newton (1642.1727) elaborou um novo modelo para explicar o universo. Auxiliado pelo desenvolvimento da Matemática, que teve em Blaise Pascal (1623.1662) um de seus maiores representantes, ele ultrapassou a simples descrição do céu, chegando a justificar a posição e a órbita de muitos corpos siderais.
Além disso, anunciou ao mundo a lei da gravitação universal, que explicava desde o movimento de planetas longínquos até a simples queda de uma fruta. Newton foi ainda responsável por avanços na área do cálculo e pela decomposição da luz, mostrando que a luz branca, na verdade, é composta por sete cores, as mesmas do arco-íris.
Tanto para o estudo dos corpos celestes como para a observação das minúsculas partes do mundo, foi necessário ampliar o campo de visão do homem. Os holandeses encarregaram-se dessa parte, descobrindo que a justaposição de várias lentes multiplicava a capacidade da visão humana.
Tal invento possibilitou a Robert Hooke (1635-1703) construir o primeiro microscópio, que ampliava até 40 vezes pequenos objetos (folhas, ferrões de abelha, patas de insetos). Esse cientista escreveu um livro sobre suas observações e criou o termo célula, hoje comum em Biologia.
As primeiras experiências com a então recém-descoberta eletricidade demonstraram que o corpo humano é um bom condutor elétrico, O menino suspenso por cordas Isolantes recebe estímulos elétricos nos pés, os quais são transmitidos à outra criança (à esquerda), a quem esta dando a mão.
A Biologia progrediu também no estudo do homem, com a identificação dos vasos capilares e do trajeto da circulação sanguínea. Descobriu-se também o princípio das vacinas — a introdução do agente causador da moléstia no organismo para que este produza suas próprias defesas.
Na Química, a figura mais destacada foi Antoine Lavolsier (1743-1794), famoso pela precisão com que realizava suas experiências. Essa característica auxiliou-o a provar que, “embora a matéria possa mudar de estado numa série de reações químicas, sua quantidade não se altera, conservando-se a mesma tanto no fim como no começo de cada operação”. Atribuiu-se a ele igualmente a frase: “Na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”.
Além dos nomes citados, houve muitos outros inventores e estudiosos que permitiram, por exemplo, a descoberta da eletricidade; a invenção da primeira máquina de calcular; a formulação de uma teoria, ainda hoje aceita, para explicar a febre; a descoberta dos protozoários e das bactérias. Surgiu mesmo uma nova ciência — a Geologia —, a partir da qual se desenvolveu uma teoria que explicava a formação da Terra, refutando a versão bíblica da criação do mundo em sete dias.
Tendo herdado o espírito curioso e indagador dos estudiosos renascentistas, os pesquisadores dos séculos XVII e XVIII construíram teorias e criaram inventos, em alguns casos posteriormente contestados pela evolução da ciência. Sua importância, entretanto, é inegável, tendo sido fundamental para os progressos técnicos que culminaram na Revolução Industrial. "
a- René de Descartes - Uma das maiores e primeiras expressões do Iluminismo. Viveu na França, na Holanda e na Suécia. Descartes lançou os fundamentos de um novo sistema filosófico baseado no Racionalismo.

b- Isaac Newton - Newton criou a física; (nasceu em Londres, no ano de 1643, e viveu até o ano de 1727. Cientista, químico, físico, mecânico e matemático, trabalhou junto com Leibniz na elaboração do cálculo infinitesimal. Durante sua trajetória, ele descobriu várias leis da física, entre elas, a lei da gravidade). Newton não faz o romance da matéria, mas exprime os fatos realmente dados na linguagem rigorosa da matemática; ele explica o movimento dos planetas, a gravidade, as marés. A matemática do infinitesimal descreve adequadamente as variações contínuas dos fenômenos. Podemos dizer que a física de Newton contribuiu largamente para a formação do espírito moderno, simultaneamente racionalista e experimental, ao relatar os fatos reais em linguagem matemática, ao descrever o "como" dos fenômenos, renunciando a imaginar o longínquo "por que" metafísico. "Hypotheses non fingo", não forjo imagens metafísicas, dizia Newton.Newton argumentou que a luz branca era na verdade uma mistura de diferentes tipos de raios que eram refratados em ângulos ligeiramente diferentes, e que cada tipo de raio diferente produz uma cor espectral diferente. Newton concluiu, erroneamente, que telescópios usando lentes refratoras sofreriam sempre de aberração cromática. Ele então propôs e construiu um telescópio refletor, com 15 cm de comprimento.
Newton colocou um espelho plano no tubo, a 45°, refletindo a imagem para uma ocular colocada no lado. O telescópio de Newton gerava imagens nove vezes maior do que um refrator quatro vezes mais longo. Os espelhos esféricos construídos naquela época produziam imagens imperfeitas, com aberração esférica. ..Seu trabalho mais importante foi em mecânica celeste, que culminou com a Teoria da Gravitação Universal. Em 1666 Newton tinha versões preliminares de suas tres leis do movimento. Ele descobriu a lei da força centrípeta sobre um corpo em órbita circular
Obra: “Princípios Matemáticos da Filosofia Natural”. Nesse livro, ele mostrou, matematicamente, que um corpo parado ou em movimento tende a ficar assim se não houver outra força na jogada. Com a Lei da Gravitação Universal, Newton provou que todos os corpos do Universo, seja a Lua ou uma maçã, obedecem à mesma força de atração.
Se destacou com a criação de um telescópio de reflexão, em 1669; também com a “Teoria das Cores” ,um artigo, o mundo ficou sabendo que a cor branca era a soma de todas as outras – e o prisma era capaz de separá-las, teirizou as cores do arco íris a partir de uma gota d’água..

c-Francis Bacon: (nasceu em Londres, em 22 de janeiro de 1561, e morreu na mesma cidade em 9 de abril de 1626). começou a desenvolver o Empirismo na Inglaterra. Para ele o conhecimento racinal sozinho não era suficiente para se chegar à verdade. Em sua época, a Física encontrava-se misturada à Filosofia.

Foi um dos líderes da Revolução Americana, conhecido por suas citações e experiências com a eletricidade.
Religioso, calvinista, e uma figura representativa do iluminismo. Correspondeu-se com membros da sociedade lunar e foi eleito membro da Royal Society. Em 1771, Franklin tornou-se o primeiro Postmaster General (ministro dos correios) dos Estados Unidos.
Em 1748 Franklin vendeu o seu negócio e, tendo adquirido uma riqueza notável, pôde dispor de mais tempo livre para os estudos. Num espaço de poucos anos fez descobertas sobre a eletricidade que lhe deram reputação internacional. Ele identificou as cargas positiva e negativa e demonstrou que os raios são um fenómeno de natureza elétrica.
Franklin tornou esta teoria inesquecível através da experiência extremamente perigosa de fazer voar .uma pipa durante uma tempestade, em 1 de outubro de 1752 Nos seus escritos, ele demonstra que estava consciente dos perigos e dos modos alternativos de demonstrar que o trovão era elétrico. Se Franklin fez a experiência, ele não a fez da forma descrita – ela teria sido fatal.
As invenções de Franklin incluíram o pára-raios, o aquecedor de Franklin - franklin stove (um aquecedor a lenha que se tornou muito popular, debitando uma corrente de ar diretamente na área a aquecer), as lentes bifocais e o corpo de bombeiros norte-americano.

e) Antoine Lavolsier (1743-1794), -
Considerado o pai da Química, Antoine Lavoisier foi o primeiro a observar que o oxigênio, em contato com uma substância inflamável, produz a combustão. Deduziu, também, baseado em reações químicas, a célebre lei da conservação da matéria: "Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma" .Com outros estudiosos, Lavoisier tentou ainda encontrar uma linguagem própria para a química.
Em 1773, colocou um metal dentro de um vaso, fechou-o hermeticamente e, por pesagem, determinou-lhe a massa. Depois, levou-o a um forno de alta temperatura, e em seguida pesou-o novamente. Não houvera alteração de massa, apesar de o metal ter-se combinado com o oxigênio do ar, formando um óxido.
Repetiu a experiência muitas vezes, provocou outras reações, medindo sempre com balanças a massa das substâncias a serem testadas, e a massa dos produtos obtidos. Concluiu que a massa das substâncias que entram numa reação química é sempre igual à das substâncias que resultam do processo. Nada se perde e nada se cria. Estava estabelecido o Princípio da Conservação da Massa.
èEconomistas Iluministas e Liberalismo Econômico -FISIOCRATAS”

Definição :
Liberalismo pode ser definido como um conjunto de princípios e teorias políticas, que apresenta como ponto principal a defesa da liberdade política e econômica. Neste sentido, os liberais são contrários ao forte controle do Estado na economia e na vida das pessoas.
O pensamento liberal teve sua origem no século XVII, através dos trabalhos sobre política publicados pelo filósofo inglês John Locke. Já no século XVIII, o liberalismo econômico ganhou força com as idéias defendidas pelo filósofo e economista escocês Adam Smith.
Fisiocracia:
Os economistas do Iluminismo vão mudar o pensamento econômico que antes era mercantilista para que houvesse a transformação do capitalismo mercantilista para o capitalismo liberal (industrial).
A mudança começa com uma "escola econômica" chamada fisiocratismo = "das atividades econômicas que se baseiam na natureza só temos a agricultura". Então, defende-se a agricultura, combatendo o mercantilismo (comércio).

Podemos citar como princípios básicos do liberalismo:
- Defesa da propriedade privada;
- Liberdade econômica (livre mercado);
- Mínima participação do Estado nos assuntos econômicos da nação (governo limitado);
- Igualdade perante a lei (estado de direito);

A- Adam Smith (1723-1790) - economista fisiocrata e filósofo inglês. Grande defensor do liberalismo econômico.
Em plena época do Iluminismo, Adam Smith tornou-se um dos principais teóricos do liberalismo econômico. Sua principal teoria baseava-se na ideia de que deveria haver total liberdade econômica para que a iniciativa privada pudesse se desenvolver, sem a intervenção do Estado. A livre concorrência entre os empresários regularia o mercado, provocando a queda de preços e as inovações tecnológicas necessárias para melhorar a qualidade dos produtos e aumentar o ritmo de produção. Obra; “ Riqueza das Nações”

B- David Ricardo- Economista inglês (Londres, 1772 - 1823). De origem judaica, foi educado em seu país e na Holanda, mas não cursou universidades. Ricardo criou a Lei Férrea dos Salários = definia quanto deveria ser o salário do trabalhador = dizia que o salário deveria ser o suficiente para que o sistema se reproduza = trabalhador não pode morrer de fome, se morrer, é o fim do capitalismo = só funciona com duas coisas: com o Capital (dinheiro, prédio, máquinas,...) e o Trabalhador. Para manter vivo o trabalho, depende-se da comida, então o salário deveria ser o suficiente para comprar a comida e alimentar os trabalhadores e a família, com isso, se o preço da comida subir, o salário também deve subir e se o preço da comida descer, o salário também deve descer para que o trabalhador não se torne "vagabundo".; Obra: Ensaio sobre a influência do baixo preço dos cereais nos lucros da bolsa. Nesse livro são apresentados os princípios básicos de sua doutrina: os lucros aumentam com a redução dos salários e diminuem com a elevação destes; o aumento dos salários não provoca o aumento dos preços; os custos são determinados pelo custo da produção de alimentos.

C- Thomas Robert Malthus – (1776-1834) Sociólogo e economista inglês: Sua tese : Malthus defendeu a tese de que a população universal aumenta em proporção geométrica, enquanto a produção de alimentos cresce apenas em proporção aritmética: o aumento populacional é sempre mais elevado que o dos meios de subsistência. Sustentou ainda que o problema da superpopulação só não se torna intolerável devido à guerras, às epidemias e a fome crônica, que dizimam periodicamente parte do excedente geográfico.
D-John Stuart Mill: Mill vai falar contra o sindicato. -O sindicato tem a função de amenizar a exploração do dono para cima dos trabalhadores.
Mill dizia que o sindicato faria greves e com as greves, ele dizia que muitos trabalhadores seriam demitidos para que se pudesse subir o salário do restante, mas esse restante que ficou teria que trabalhar bem mais para compensar a produção. Portanto, para Mill, o sindicato demite pessoas e faz com que outros trabalhem mais para compensar a produção.

Essa ideia está errada, ele contou essa estória para favorecer a burguesia, pois não haveria apoio aos sindicatos e não haveria greves, pois com greves, não há produção, nem dinheiro.
Resumo: ele diz que os sindicatos são responsáveis pelo desemprego e ele diz isso para que não haja greves, pois se há greve, não há produção, nem lucro.

E- François Quesnay (1694-1774 ): Médico da corte do rei francês Luís XV. O homem mais importante do fisiocratismo é o médico Quesnay .
Foi o primeiro que percebeu que existe um mercado, onde existe produção e circulação de mercadorias, de serviços e de pessoas.
Para Quesnay o Estado JAMAIS deve intervir na economia, mas no Mercantilismo o Estado sempre intervinha = monopólios, cartas de concessão, preços, quantidade, qualidade. Com isso, ele defende a Liberdade Econômica. “Laissez-faire, laissez-passer, le monde va de lui-même” ou seja, deixar fazer, deixar passar, que o mundo vai por si mesmo. Cria a ideia de “oferta-procura”, isto é, quanto maior a procura do produto, maior seu preço. Contrariamente, quanto menor a procura, menor o preço. Se existir liberdade, produz-se e consome-se o necessário, logo, há estabilidade do preço e equilíbrio
Opunha-se às teorias mercantilistas, defendendo que os entraves à produção, circulação e consumo de géneros deveriam ser suprimidos. Trata-se pois de uma visão defensora da liberdade económica, expressa na máxima laissez-faire, laissez passer (deixem fazer, deixem passar, este era o símbolo do liberalismo). O melhor Estado era aquele que menos governava e este só se deveria interessar com a manutenção da ordem, da propriedade e da liberdade individual. As suas teorias seriam desenvolvidas pelos seus discípulos (Turgot, Gournay) e viriam a influenciar o pensamento de Adam Smith.

F- Marquês de Mirabeau, Vincent Gournay, – discípulo de Quesnay, defendeu o mesmo pensamento autor da frase ;Laissez-faire, laissez-passer, que significa" Deixai fazer, deixa passar”

G-Jacques Necker (Genebra, 1732 - 1804) foi um economista e político suíço do século XVIII.
Necker foi em três ocasiões encarregado da economia da monarquia francesa pelos rei Luis XVI: em 1776, 1788 e 1789.
Combateu Luis XVI e contribuiu em divulgar idéias liberais que levaram o rei da França à guilhotina, em plena revolução Francesa;

èDespotismo Esclarecido

Algumas ideias formadas pelo Iluminismo chegam aos ouvidos do rei (Antigo Regime). Os reis percebem que algo deve ser feito para se modernizar os seus reinos, então eles vão usar algumas ideias do Iluminismo para modernizarem seus reinos, por isso são chamados de déspotas (rei absoluto) iluminados. O problema é que quando o rei usa as ideias do Iluminismo, ele não pode aprofundar muito, porque senão ele acaba com o Regime Absoluto. Ele não vai poder usar as ideias de qualquer filósofo = Rousseau (defende a democracia), Montesquieu (divide o seu poder em três). Mas ele pode usar a ideia de Igualdade Jurídica = "a partir de agora o clero e a nobreza vão pagar impostos também e não só a burguesia e os servos (trabalhadores)", mas o imposto que era cobrado ao clero e à nobreza é muito pequeno quando comparado aos dos outros.
Alguns reis vão chamar pessoas mais inteligentes para dirigir o reino em nome deles = foi o caso de Portugal, onde o rei chamou o Marquês de Pombal, que vai tirar gastos, racionalizar a administração, melhorar a exploração do Brasil, etc..
Essas medidas não vão funcionar tão bem a ponto de impedir o fim do Antigo Regime, mas vão retardar o fim deste.
Essas ideias iluministas influenciaram alguns governantes, que logo passaram a praticar essas teorias mas com um tom soberano, ou seja, procuravam governar com a razão e com os interesses do povo, mas com um toque de absolutismo real. Resumo: foi uma tentativa dos monarcas europeus visando reformar o Antigo Regime, evitando sua decadência, mas haverá apenas um retardamento no processo.
Essa união de princípios filosóficos e poder real deu origem ao Depotismo esclarecido.
Seus principais adeptos foram:

a-Frederico II da Prússia - discípulo de Voltaire- deu liberdade religiosa, investiu na educação para o ensino básico e na liberdade de expressão. Estimulou a economia, com medidas protecionistas, isto quer dizer, a Prússia permaneceu um estado feudal, com servos sujeitos aos seus senhores.

b-Na Rússia, Catarina II, teve contato com os iluministas franceses, entre eles, Voltaire. Também deu liberdade religiosa ao povo e fez mudanças de hábitos na alta sociedade. Claro que os servos tiveram prejuízos, pois o poder dos senhores aumentou, com direito até mesmo sobre a vida dos servos.

c-José II - na Áustria, ele aboliu a servidão no país, concedeu igualdade entre todos, até em sua administração imperial, deu liberdade de culto à todos.

d- Marquês de Pombal, Em Portugal, fez importantes reformas baseadas no iluminismo. Houve mais desenvolvimento no país. A agricultura foi estimulada. A nobreza foi perseguida para fortalecer o poder real e os jesuítas foram ”incentivados” para não dizer, expulsos de Portugal.



CONCLUSÃO SOBRE O ILUMINISMO:

O iluminismo não tem uma data precisa de quando começou. Alguns acadêmicos entendem ser suas origens no final do século 17, porém a maioria entende ser no começo do século 18.
O iluminismo trouxe impactos significativos na vida polícia e intelectual da maioria dos países Ocidentais.
Neste período é possível destacar a influência sobre os padrões de comportamento político, econômico, cultural, social e nas ciências.
A criação do Estado Nação, expansão dos direitos civis, redução do poder e influência da nobreza e da Igreja, o desenvolvimento da imprensa, estabelecimento de economia de mercado, a ciência moderna que se desvincula da influência religiosa, o surgimento da democracia representativa, o despontamento da cultura secular e a redução do poder e influência da Igreja, expansionismo econômico, direito a propriedade, busca do conhecimento, avanço tecnológico.
Não há dúvidas de que a nossa socied
ade atual continua sob a influência Iluminista.