Total de visualizações de página

Follow by Email

outubro 05, 2011

Gurra Fria-A Nova Ordem-Ditadura Militar

A GUERRA FRIA E A NOVA ORDEM -3º Ano- Prof. Rita MacCord
Introdução
A Guerra Fria tem início logo após a Segunda Guerra Mundial, pois os Estados Unidos e a União Soviética vão disputar a hegemonia política, econômica e militar no mundo.
A União Soviética possuía um sistema socialista, baseado na economia planificada, partido único (Partido Comunista), igualdade social e falta de democracia. Já os Estados unidos, a outra potência mundial, defendia a expansão do sistema capitalista, baseado na economia de mercado, sistema democrático e propriedade privada. Na segunda metade da década de 1940 até 1989, estas duas potências tentaram implantar em outros países os seus sistemas políticos e econômicos.... A definição para a expressão guerra fria é de um conflito que aconteceu apenas no campo ideológico, não ocorrendo um embate militar declarado e direto entre Estados Unidos e URSS. Até mesmo porque, estes dois países estavam armados com centenas de mísseis nucleares. Um conflito armado direto significaria o fim dos dois países e, provavelmente, da vida no planeta Terra. Porém ambos acabaram alimentando conflitos em outros países como, por exemplo, na Coréia e no Vietnã.
Paz Armada
Na verdade, uma expressão explica muito bem este período: a existência da Paz Armada. As duas potências envolveram-se numa corrida armamentista, espalhando exércitos e armamentos em seus territórios e nos países aliados. Enquanto houvesse um equilíbrio bélico entre as duas potências, a paz estaria garantida, pois haveria o medo do ataque inimigo. 
Nesta época, formaram-se dois blocos militares, cujo objetivo era defender os interesses militares dos países membros. A OTAN - Organização do Tratado do Atlântico Norte(OTAN) (surgiu em abril de 1949) era liderada pelos Estados Unidos e tinha suas bases nos países membros, principalmente na Europa Ocidental. O Pacto de Varsóvia era comandado pela União Soviética e defendia militarmente os países socialistas.
 Alguns países membros da OTAN : Estados Unidos, Canadá, Itália, Inglaterra, Alemanha Ocidental, França, Suécia, Espanha, Bélgica, Holanda, Dinamarca, Áustria e Grécia.
Alguns países membros do Pacto de Varsóvia : URSS, Cuba, China, Coréia do Norte, Romênia, Alemanha Oriental, Albânia, Tchecoslováquia e Polônia.
Corrida Espacial
EUA e URSS travaram uma disputa muito grande no que se refere aos avanços espaciais. Ambos corriam para tentar atingir objetivos significativos nesta área. Isso ocorria, pois havia uma certa disputa entre as potências, com o objetivo de mostrar para o mundo qual era o sistema mais avançado. No ano de 1957, a URSS lança o foguete Sputnik com um cão dentro, o primeiro ser vivo a ir para o espaço. Doze anos depois, em 1969, o mundo todo pôde acompanhar pela televisão a chegada do homem a lua, com a missão espacial norte-americana.
Caça às Bruxas
Os EUA liderou uma forte política de combate ao comunismo em seu território e no mundo. Usando o cinema, a televisão, os jornais, as propagandas e até mesmo as histórias em quadrinhos, divulgou uma campanha valorizando o "american way of life". Vários cidadãos americanos foram presos ou marginalizados por defenderem ideias próximas ao socialismo. O Macarthismo, comandado pelo senador republicano Joseph McCarthy, perseguiu muitas pessoas nos EUA. Essa ideologia também chegava aos países aliados dos EUA, como uma forma de identificar o socialismo com tudo que havia de ruim no planeta...Na URSS não foi diferente, já que o Partido Comunista e seus integrantes perseguiam, prendiam e até matavam todos aqueles que não seguiam as regras estabelecidas pelo governo. Sair destes países, por exemplo, era praticamente impossível. Um sistema de investigação e espionagem foi muito usado de ambos os lados. Enquanto a espionagem norte-americana cabia aos integrantes da CIA, os funcionários da KGB faziam os serviços secretos soviéticos.
"Cortina de Ferro"
Após a Segunda Guerra, a Alemanha foi dividida em duas áreas de ocupação entre os países vencedores. A República Democrática da Alemanha, com capital em Berlim, ficou sendo zona de influência soviética e, portanto, socialista. A República Federal da Alemanha, com capital em Bonn (parte capitalista), ficou sob a influência dos países capitalistas. A cidade de Berlim foi dividida entre as quatro forças que venceram a guerra : URSS, EUA, França e Inglaterra. No final da década de 1940 é levantado Muro de Berlim, para dividir a cidade em duas partes : uma capitalista e outra socialista. É a vergonhosa "cortina de ferro". 
Plano Marshall e COMECON
As duas potências desenvolveram planos para desenvolver economicamente os países membros. No final da década de 1940, os EUA colocaram em prática o Plano Marshall, oferecendo ajuda econômica, principalmente através de empréstimos, para reconstruir os países capitalistas afetados pela Segunda Guerra Mundial. Já o COMECON foi criado pela URSS em 1949 com o objetivo de garantir auxílio mútuo entre os países socialistas.
Envolvimentos Indiretos
ÞGuerra da Coréia : Entre os anos de 1951 e 1953 a Coréia foi palco de um conflito armado de grandes proporções. Após a Revolução Maoista ocorrida na China, a Coréia sofre pressões para adotar o sistema socialista em todo seu território. A região sul da Coréia resiste e, com o apoio militar dos Estados Unidos, defende seus interesses. A guerra dura dois anos e termina, em 1953, com a divisão da Coréia no paralelo 38. A Coréia do Norte ficou sob influência soviética e com um sistema socialista, enquanto a Coréia do Sul manteve o sistema capitalista.
ÞGuerra do Vietnã: Este conflito ocorreu entre 1959 e 1975 e contou com a intervenção direta dos EUA e URSS. Os soldados norte-americanos, apesar de todo aparato tecnológico, tiveram dificuldades em enfrentar os soldados vietcongues (apoiados pelos soviéticos) nas florestas tropicais do país. Milhares de pessoas, entre civis e militares morreram nos combates. Os EUA saíram derrotados e tiveram que abandonar o território vietnamita de forma vergonhosa em 1975. O Vietnã passou a ser socialista. 
ÞFim da Guerra Fria
A falta de democracia, o atraso econômico e a crise nas repúblicas soviéticas acabaram por acelerar a crise do socialismo no final da década de 1980. Em 1989 cai o Muro de Berlim e as duas Alemanhas são reunificadas. No começo da década de 1990, o então presidente da União Soviética Gorbachev começou a acelerar o fim do socialismo naquele país e nos aliados. Com reformas econômicas, acordos com os EUA e mudanças políticas, o sistema foi se enfraquecendo. Era o fim de um período de embates políticos, ideológicos e militares. O capitalismo vitorioso, aos poucos, iria sendo implantado nos países socialistas.

I parete:Golpe Militar de 1964
O Golpe Militar de 1964 marca uma série de eventos ocorridos em 31 de março de 1964 no Brasil, e que culminaram em um golpe de estado no dia 1 de abril de 1964. Esse golpe pôs fim ao governo do presidente João Goulart, também conhecido como Jango, que havia sido de forma democrática, eleito vice-presidente pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).
Imediatamente após a tomada de poder pelos militares, foi estabelecido o AI-1. Com 11 artigos, o mesmo dava ao governo militar o poder de modificar a constituição, anular mandatos legislativos, interromper direitos políticos por 10 anos e demitir, colocar em disponibilidade ou aposentar compulsoriamente qualquer pessoa que fosse contra a segurança do país, o regime democrático e a probidade da administração pública, além de determinar eleições indiretas para a presidência da República.
Durante o regime militar, ocorreu um fortalecimento do poder central, sobretudo do poder Executivo, caracterizando um regime de exceção, pois o Executivo se atribuiu a função de legislar, em detrimento dos outros poderes estabelecidos pela Constituição de 1946. O Alto Comando das Forças Armadas passou a controlar a sucessão presidencial, indicando um candidato militar que era referendado pelo Congresso Nacional.
A liberdade de expressão e de organização era quase inexistente. Partidos políticos, sindicatos, agremiações estudantis e outras organizações representativas da sociedade foram suprimidas ou sofreram interferência do governo. Os meios de comunicação e as manifestações artísticas foram reprimidos pela censura. A década de 1960 iniciou também, um período de grandes transformações na economia do Brasil,  de modernização da indústria e dos serviços, de concentração de renda, de abertura ao capital estrangeiro e do endividamento externo.
1)GOVERNO CASTELLO BRANCO (1964-1967) 
Castello Branco, general militar, foi eleito pelo Congresso Nacional presidente da República em 15 de abril de 1964. Em seu pronunciamento, declarou defender a democracia, porém ao começar seu governo, assume uma posição autoritária.
Estabeleceu eleições indiretas para presidente, além de dissolver os partidos políticos. Vários parlamentares federais e estaduais tiveram seus mandatos cassados, cidadãos tiveram seus direitos políticos e constitucionais cancelados e os sindicatos receberam intervenção do governo militar.....Em seu governo, foi instituído o bipartidarismo. Só estavam autorizados o funcionamento de dois partidos: Movimento Democrático Brasileiro ( MDB ) e a Aliança Renovadora Nacional ( ARENA ). Enquanto o primeiro era de oposição, de certa forma controlada, o segundo representava os militares.
O governo militar impõe, em janeiro de 1967, uma nova Constituição para o país. Aprovada neste mesmo ano, a Constituição de 1967 confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação.
2)GOVERNO COSTA E SILVA (1967-1969)
Em 1967, assume a presidência o general Arthur da Costa e Silva, após ser eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. Seu governo é marcado por protestos e manifestações sociais. A oposição ao regime militar cresce no país. A UNE ( União Nacional dos Estudantes ) organiza, no Rio de Janeiro, a Passeata dos Cem Mil. 
Em Contagem (MG) e Osasco (SP), greves de operários paralisam fábricas em protesto ao regime militar. 
A guerrilha urbana começa a se organizar. Formada por jovens idealistas de esquerda, assaltam bancos e sequestram embaixadores para obterem fundos para o movimento de oposição armada.
No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Ato Institucional Número 5 ( AI-5 ). Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.
3)GOVERNO DA JUNTA MILITAR (31/8/1969-30/10/1969)
Doente, Costa e Silva foi substituído por uma junta militar formada pelos ministros Aurélio de Lira Tavares (Exército), Augusto Rademaker (Marinha) e Márcio de Sousa e Melo (Aeronáutica). 
Dois grupos de esquerda, O MR-8 e a ALN sequestram o embaixador dos EUA Charles Elbrick. Os guerrilheiros exigem a libertação de 15 presos políticos, exigência conseguida com sucesso. Porém, em 18 de setembro, o governo decreta a Lei de Segurança Nacional. Esta lei decretava o exílio e a pena de morte em casos de "guerra psicológica adversa, ou revolucionária, ou subversiva".
No final de 1969, o líder da ALN, Carlos Mariguella, foi morto pelas forças de repressão em São Paulo.
4)GOVERNO MEDICI (1969-1974)
Em 1969, a Junta Militar escolhe o novo presidente: o general Emílio Garrastazu Médici. Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como " anos de chumbo ". A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução. Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país. O DOI-Codi ( Destacamento de Operações e Informações e ao Centro de Operações de Defesa Interna ) atua como centro de investigação e repressão do governo militar.
Ganha força no campo a guerrilha rural, principalmente no Araguaia. A guerrilha do Araguaia é fortemente reprimida pelas forças militares.
žO Milagre Econômico
Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infraestrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi.
Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.
5) GOVERNO GEISEL (1974-1979)
Em 1974 assume a presidência o general Ernesto Geisel que começa um lento processo de transição rumo à democracia. Seu governo coincide com o fim do milagre econômico e com a insatisfação popular em altas taxas. A crise do petróleo e a recessão mundial interferem na economia brasileira, no momento em que os créditos e empréstimos internacionais diminuem.
Geisel anuncia a abertura política lenta, gradual e segura. A oposição política começa a ganhar espaço. Nas eleições de 1974, o MDB conquista 59% dos votos para o Senado, 48% da Câmara dos Deputados e ganha a prefeitura da maioria das grandes cidades.
OS MILITARES DE LINHA DURA, não contentes com os caminhos do governo GEISEL, começam a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda. EM 1975, O JORNALISTA VLADIMIR HERZOG á assassinado nas dependências do DOI-Codi em São Paulo. Em janeiro de 1976, o operário Manuel Fiel Filho aparece morto em situação semelhante.
Em 1978, Geisel acaba com o AI-5, restaura o habeas-corpus e abre caminho para a volta da democracia no Brasil.
 6)GOVERNO FIGUEIREDO (1979-1985) 
A vitória do MDB nas eleições em 1978 começa a acelerar o processo de redemocratização. O general João Baptista Figueiredo decreta a Lei da Anistia, concedendo o direito de retorno ao Brasil para os políticos, artistas e demais brasileiros exilados e condenados por crimes políticos. Os militares de linha dura continuam com a repressão clandestina. Cartas-bomba são colocadas em órgãos da imprensa e da OAB (Ordem dos advogados do Brasil). No dia 30 de Abril de 1981, uma bomba explode durante um show no centro de convenções do Rio Centro. O atentado fora provavelmente promovido por militares de linha dura, embora até hoje nada tenha sido provado.
Em 1979, o governo aprova lei que restabelece o pluripartidarismo no país. Os partidos voltam a funcionar dentro da normalidade. A ARENA muda o nome e passa a ser PDS, enquanto o MDB passa a ser PMDB. Outros partidos são criados, como : Partido dos Trabalhadores ( PT ) e o Partido Democrático Trabalhista ( PDT ).
A REDEMOCRATIZAÇÃO E A CAMPANHA PELAS DIRETAS JÁ
Os Últimos dias do governo Militar...
Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também. Enquanto isso a oposição ganha terreno com o surgimento de novos partidos e com o fortalecimento dos sindicatos.
Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.
No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República. Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal.
Era o fim do regime militar. Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país.  
   1961
25/08 Renúncia de Jânio Quadros
30/08 Ministros militares declaram-se contrários à posse de João Goulart
02/09 Instituído o sistema parlamentar de governo como resultado do acordo que possibilitaria a posse do vice-presidente João Goulart
07/09 Posse de João Goulart
           1962
02/02 Criação oficial do Instituto de Pesquisas Sociais (Ipês), que conspiraria contra o governo Goulart.
           1963
24/01 Retorno ao sistema presidencialista de governo, após plebiscito realizado no dia 6, que não referendou o parlamentarismo.
07/08 Projeto de Milton Campos sobre a reforma agrária é rejeitado.
23/08 Comício do CGT pelo aniversário da morte de Getúlio Vargas com a presença de Goulart. Presentes exigem definição do presidente durante seu discurso. Goulart promete que reformas serão implementadas.
12/09 Revolta de sargentos da Aeronáutica e da Marinha em Brasília.
07/10 Goulart retira o pedido de decretação de estado de sítio em função da ampla oposição que gerou.
17/10 Rejeitada emenda do PTB sobre reforma agrária na Câmara dos Deputados.
Novembro Greve dos cortadores de cana em Pernambuco e parte da Paraíba.
           1964
17/01 Regulamentação da lei de remessa de lucros.
13/03 Comício da Central do Brasil ou “das reformas”.
19/03 Marcha da Família, com Deus, pela Liberdade em São Paulo (SP), espécie de resposta ao Comício da central.
20/03 O chefe do Estado-Maior do Exército, general Castelo Branco, divulga circular reservada entre seus subordinados contra João Goulart.
21 a 29/03 9 “Marchas” da família, com Deus, pela Liberdade, em diversas cidades de São Paulo.
31/03 Inicia-se o movimento militar em Minas Gerais com deslocamento de tropas comandadas pelo general Mourão filho.
01/04 a 08/06 42 “Marchas” da Família, com Deus, pela Liberdade em São Paulo, Minas, Rio de Janeiro, Piauí , Paraná e Goiás.
02/04 João Goulart segue de Brasília pra Porto Alegre. De lá, sairia do Brasil.
02/04 General Costa e Silva autonomeia-se comandante-em-chefe do Exército nacional e organiza o “Comando Supremo da Revolução”.
04/04 O nome do general Castelo Branco é indicado para a Presidência da república pelos líderes do Golpe.
09/04 Decretado o Ato Institucional que confere ao presidente da República poderes para cassar mandatos eletivos e suspender direitos políticos até 15 de junho de 1964, entre outros poderes discricionários.
10/04 A sede da UNE é incendiada por participantes do movimento político militar.
13/04 O Diário Oficial publica decreto que extingue o mandato de todos os membros do conselho diretor da Universidade de Brasília
13/06 Criado o Serviço Nacional de Investigações (SNI).
27/10 Declarada a extinção da União nacional dos Estudantes (UNE).
09/11 Sancionada a Lei n. 4.464 (Lei Suplicy) proibindo atividades políticas estudantis. A Lei Suplicy de Lacerda coloca na ilegalidade a UNE e as UEEs, que passam a atuar na clandestinidade. Todas as instâncias da representação estudantil ficam submetidas ao MEC.
           1965
Ato Institucional N.2 extingue os partidos existentes, atribui à Justiça Militar o julgamento de civis acusados de crimes contra a segurança nacional e confere ao presidente da república poderes para cassar mandatos eletivos e suspender direitos políticos até 15 de março de 1967, entre outros dispositivos.
Início A UNE convoca um conselho para eleger, com mandato-tampão, o presidente que a chefiará até o 27o Congresso, em julho. Alberto Abissâmara, de tendências progressistas, é escolhido.
05/02 Ato Institucional N.3 estabelece eleição indireta para governadores.
01/04 No dia 1o, o Conselho Universitário, presidido pelo reitor Pedro Calmon, dissolve a diretoria do CACO – Centro Acadêmico de Direito UFRJ.
12/04 No dia 12, agentes do Dops e a Polícia Militar impedem com violência uma reunião do CACO – Centro Acadêmico de Direito UFRJ. As aulas são suspensas.
Agosto Surgem os Diretórios Acadêmicos Livres.
23/09 São feitas manifestações contra a Lei Suplicy, no Rio de Janeiro.
03/10 O general Costa e Silva é eleito presidente da república pelo Congresso Nacional.
20/10 O general Castelo Branco decreta o recesso do Congresso Nacional até 22 de novembro em função da não aceitação de cassações.
Cronologia da Ditadura Militar - Continuação
           1966
1966 a 1973 É o período da ilegalidade da UNE.
Março Uma passeata em Belo Horizonte contra o regime militar é brutalmente reprimida. A violência desencadeia passeatas estudantis em outros estados.
28/07 a 02/08 Mesmo na ilegalidade, é realizado o XXVIII Congresso da UNE, em Belo Horizonte, que marca a oposição da entidade ao Acordo MEC-Usaid. O congresso acontece no porão da Igreja de São Francisco de Assis. O mineiro José Luís Moreira Guedes é eleito presidente da UNE.
Setembro As aulas na Faculdade Nacional de Direito são suspensas e 178 estudantes paulistas são presos durante um congresso realizado pela UNE-UEE, em São Bernardo do Campo.
O General Castelo Branco cria o Movimento Universitário para o Desenvolvimento Econômico e Social (Mudes).
14/09 Alunos da Faculdade Nacional de Odontologia entram em greve de protesto e colocam cartazes nas imediações da faculdade. Há choque entre os estudantes e policiais do Dops.
18/09 A UNE decreta greve geral.
22/09 A UNE elege o dia 22 como o Dia Nacional de Luta contra a Ditadura.
23/09 A polícia invade a Faculdade de Medicina da UFRJ e expulsa estudantes com violência. O episódio ficou conhecido como o Massacre da Praia Vermelha.
           1967
24/01 Promulgada a nova Constituição do Brasil.
11/03 O general Castelo Branco edita nova Lei de Segurança Nacional.
15/03 O general Costa e Silva é empossado na Presidência da República.
Agosto É realizado o XXIX Congresso da UNE, em Valinhos (SP), na clandestinidade. Luís Travassos é eleito presidente da entidade.
           1968
28/03 O estudante Edson Luís de Lima Souto é morto durante conflito com a PM no restaurante Calabouço, no Rio de Janeiro (RJ).
29/03 Marcha de 50 mil pessoas repudia o assassinato de Edson Luís de Lima Souto.
29/03 A UNE decreta greve geral dos estudantes.
30/03 O ministro da Justiça, Gama e Silva, determina a repressão das passeatas estudantis.
01/04 Inúmeras passeatas estudantis irrompem em várias capitais brasileiras.
22/05 Lei N. 5.439 estabelece responsabilidade criminal para menores de 18 anos envolvidos em ações contra a segurança nacional.
04/06 Sessenta e oito cidades são declaradas áreas de segurança nacional e, por isso, seus eleitores ficam impedidos de escolher pelo voto direto, os respectivos prefeitos.
21/06 Prisão de trezentas pessoas na Universidade federal do Rio de Janeiro. As aulas são suspensas.
25/06 O ministro da Justiça, Gama e Silva, proíbe passeatas e comícios - relâmpago.
26/06 Passeata dos Cem Mil no Rio de Janeiro.
16/07 Greve de Osasco (SP) inicia-se com a ocupação da Cobrasma.
29/08 Invasão do campus da Universidade Federal de Minas Gerais por tropas federais.
30/08 Invasão do campus da Universidade de Brasília por tropas policiais resulta em violência.
02/10 Invasão do prédio da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP) pelo Comando de Caça aos Comunistas e outros grupos.
Outubro É realizado clandestinamente o XXX Congresso da UNE, em Ibiúna (SP).
12/10 Prisão de estudantes em Ibiúna durante congresso da UNE. São presas mais de 700 pessoas, entre elas as principais lideranças do movimento estudantil: Luís Travassos (presidente eleito), Vladimir Palmeira, José Dirceu, Franklin Martins e Jean Marc Von Der Weid.
13/12 Ato Institucional N. 5 torna perenes os poderes discricionários que atribui ao presidente da República. O Congresso Nacional é posto em recesso.
Com o decretado AI-5. Centros cívicos substituem os grêmios estudantis.
           1969
Inicio A UNE tenta manter uma direção com a eleição de Jean Marc Von Der Weid através dos Congressinhos Regionais.
26/02 Decreto-Lei N.477 dispõe sobre infrações disciplinares praticadas por professores, alunos, funcionários ou empregados de estabelecimentos de ensino. Que penaliza professores, alunos e funcionários de estabelecimentos de ensino público (até 1973, esse decreto atingiria 263 pessoas, a maioria estudantes).
16/05 O Ato Institucional N. 10 , dentre outros efeitos, levaria centenas de professores universitários à aposentadoria.
01/07 Criação da Operação bandeirantes (Oban), embrião da polícia política conhecida como “sistema CODI-DOI” que seria implantada em todo o país nos moldes da Oban.
31/08 Junta Militar, formada pelos ministros militares, assume o poder em função da doença de Costa e Silva, impedindo a posse do vice-presidente da República, que não concordara com o Ato Institucional N.5.
Setembro O presidente da UNE, Jean Marc Von Der Weid, é preso.
05/09 O Ato Institucional N. 14 estabelecida a pena de morte.
30/10 Posse do general Emílio Garrastazu Médice na presidência da República, já que fora caracterizada a incapacitação definitiva do general Costa e Silva.
           1970
Inicio Com quase todas as lideranças presas ou exiladas, o movimento estudantil realiza atos isolados, dentre eles uma missa pelo segundo aniversário da morte de Edson Luís.
10/02 Estabelecimento da censura prévia de livros e revistas pelo decreto-lei N. 1.077.
20/05 Início das operações oficiais do CIE.
20/05 Decreto N.66.608 cria o centro de Informações de Segurança da Aeronáutica (Cisa).
           1971
30/03 Decreto N.68.447 reorganiza o Centro de Informações da Marinha (Cenimar).
Setembro Honestino Guimarães, vice de Jean Marc Von Der Weid, é efetivado presidente da UNE, em micro congresso.
07/09 Morte de Carlos Lamarca
Novembro O governo passa a editar “decretos reservados”.
           1972
Inicio A AP passa a denominar-se Ação Popular Marxista-Leninista (APML).
O presidente da UNE, Honestino Guimarães, desaparece.
Março Inaugurada a Escola Nacional de informações
12/04 O Exército inicia o combate à guerrilha comandado pelo PC do B na região do Araguaia.
           1973
30/03 Alexandre Vannucchi Leme, aluno da Universidade de São Paulo (USP), é preso e morto pelos militares. A missa em sua memória, realizada em 30 de março na Catedral da Sé, em São Paulo, é o primeiro grande movimento de massa desde 1968.
14/09 A Arena homologa o nome do general Ernesto Geisel como candidato à presidência da república.
07/10 Início de nova tentativa, pelo Exército , de combate à guerrilha do Araguaia.
Dezembro O Exército derrota a guerrilha do Araguaia.
           1974
Inicio O Colégio Eleitoral homologa o nome do general Ernesto Geisel para a presidência da República.
É criado o Comitê de Defesa dos Presos Políticos na Universidade de São Paulo (USP).
           1975
30/01 O ministro da justiça anuncia que continuam as atividades de repressão ao comunismo e à subversão.
26/10 Anunciada a morte do Jornalista Vladimir Herzog em dependências do II Exército (SP)
           1976
17/01 Morte do operário Manuel Fiel Filho em de pendências do II Exército (SP). O general Geisel exonera o general Ednardo Dávila Melo do comando do II Exército em função doas mortes de Vladimir Herzog e de Manuel Fiel Filho.
19/08 Bombas explodem na ABI e na OAB.
           1977
01/04 Decretado o recesso do Congresso Nacional por 14 dias. Durante o período, o gen. Geisel edita uma série de medidas conhecidas como “pacote de abril”.
           1978
Maio Greve dos metalúrgicos de São Bernardo do Campo
15/10 O colégio Eleitoral referenda o nome do general João Figueiredo para presidente da república.
           1979
01/01 Extinção do AI-5.
15/03 Posse do general João Baptista de Oliveira Figueiredo como presidente.
28/08 Decretada a anistia pelo governo Figueiredo.
29/11 Fim do bipartidarismo
           1980
27/08 Carta-bomba explode na sede da OAB e mata a secretária Lydia Monteiro. Desde janeiro diversas bombas explodiram ou foram encontradas no país.
           1981
30/04 Integrantes do DOI do I Exército explodem acidentalmente uma bomba que planejam usar num atentado durante show de música no Rio Centro (RJ)
           1982
15/11 A oposição, em conjunto, conquista maioria na Câmara dos deputados.
           1983
Inicia-se uma campanha pelas eleições diretas para a Presidência da República.
           1984
25/04 A emenda constitucional restabelecendo as eleições diretas para presidente da República é derrotada no Congresso Nacional.
           1985
15/01 Tancredo Neves e José Sarney vencem no Colégio Eleitoral a disputa com Paulo Maluf pela Presidência da República.
15/03 Posse do vice-presidente José Sarney na presidência da república em função de doença de Tancredo Neves.
21/04 Morte de Tancredo Neves.
           1988
05/10 Promulgada nova Constituição da República definida pelo Congresso Nacional, mantendo no Título V e Capítulo I o estado de Defesa e do estado de Sítio, com restrições aos direitos de reunião, sigilo de correspondência e de comunicação, além de manter a proibição de sindicalização e greve aos militares.
           2005
04/07 Criado pelo Departamento de Sociologia e Ciência Política da UFSC o Memorial dos Direitos Humanos.
II parte:_DITADURA NA AMÉRICA LATINA
Como decorrência da guerra fria surgiram diversas ditaduras na América Latina. Grande número delas foi formado por golpe militar.
República Dominicana, com o regime tirânico de Trujillo.
Chile, do ditador Pinochet.
Haiti, do tirânico ditador Papa Doc
Argentina
Uruguai
Paraguai, ditador Stroessner.
Brasil, tendo havido também, em outro momento histórico, o Estado Novo
Cuba por Batista.
Sendo muito relevante o caudilhismo, que consiste na glorificação de um líder e na construção de um partido em torno dele e não de convicções políticas, ou ideologia

ÞO Plano Condor tinha por objetivo derrubar os governos populistas e instalar na América latina ditaduras militares. Com a revolução socialista em Cuba, os EUA ficaram apreensivos pois acreditavam que o continente Americano estava livre da doutrina socialista, mas Fidel Castro e seus ‘’Hermanos’’ conseguiram alienar Cuba a URSS.
O Governo Norte Americano acreditava que instalando uma ditadura no Brasil, seria fácil fazer isso nos outros países circunvizinhos. Assim nosso país foi um laboratório do Plano americano e a aposta deles foi certa, pois anos depois os países que outrora eram populistas viraram governos ditatoriais.
Fica é difícil relacionar países do continente latino americano, que em algum momento da história, não estiverem sob regime militar.
Recomendo a leitura das Veias Abertas da América Latina, de Eduardo Galeano, já em sua 46a. edição, onde o autor quebra a cronologia linear da historiografia oficial para desnudar o saque ao continente que persiste desde o descobrimento. Analisando os mecanismos de poder, os modos de produção e os sistemas de expropriação, Eduardo Galeano reescreve a história da América Latina e expõe os quinhentos anos de exploração econômica e miséria social.
ÞA OPERAÇÃO CONDOR (também conhecida como Carcará, no Brasil)foi uma aliança político-militar entre os vários regimes militares da América do SulBrasil, Argentina, Chile, Bolívia, Paraguai e Uruguai — criada com o objetivo de coordenar a repressão a opositores dessas ditaduras e eliminar líderes de esquerda instalados nos seis países do Cone Sul.
Montada no início dos anos 1970, durou até a onda de redemocratização, na década seguinte. A operação, liderada por militares da América Latina, foi batizada com o nome do condor, abutre típico dos Andes que se alimenta de carniça , como os urubus.

ECHILE: A Ditadura no Chile teve início com a tomada do poder pelos militares, liderados pelo general Augusto Pinochet.
Na segunda metade do século XX o contexto mundial era o da Guerra Fria, na qual se opunham o capitalismo e o comunismo. Muitos países da América Latina, guiados por um ideal de combate aos males do comunismo, resultaram em governos ditatoriais que geralmente foram promovidos por ações militares. Os militares foram responsáveis por golpes de Estado, por exemplo, no Brasil, na Argentina e no Chile.
A economia chilena crescia por causa das empresas estrangeiras, mas o povo não estava satisfeito. Em 1970 foi eleito Salvador Allende, em função da união da esquerda em uma chapa chamada Unidade Popular. Allende promoveu então uma política nacionalista de esquerda no país, nacionalizando as empresas estrangeiras.
Os Estados Unidos ficaram insatisfeitos com o governo de Allende e passaram a apoiar movimentos de oposição ao governo. O presidente sofreu intenso desgaste e surgiu um movimento com o intuito de derrubá-lo. Foi então que em setembro de 1973 militares deram um golpe de Estado que resultou no assassinato de Salvador Allende.
A DITADURA NO CHILE foi implantada sob o comando do general AUGUSTO PINOCHET, responsável pelo assassinato de ALLENDE. Começava então um governo autoritário empenhado em caçar os opositores e os esquerdistas nacionalistas. Politicamente foi um governo que procurou satisfazer todos os interesses dos Estados Unidos, é tido, por isso, como a primeira experiência neoliberal no mundo.
Tal como no Brasil e na Argentina, a Ditadura no Chile também matou e sequestrou milhares de pessoas. Os militares fizeram uso dos mais rudes métodos de tortura e assassinato contra os opositores do regime. Durante longos 26 anos o Chile viveu sob censura, tortura, sequestros e assassinatos.
Diferentemente de Brasil e Argentina, a Ditadura no Chile foi de um homem só, Augusto Pinochet. O militar sustentou o governo autoritário por muito tempo e impediu que a democracia tivesse seu lugar no Chile. Faleceu em 2006, mas os chilenos ainda padecem do atraso gerado por seu regime ditatorial.
EARGENTINA:
Durante dez anos, de 1945 a 1955, Perón e sua mulher Evita mantiveram por meios autoritários, similares aos do fascismo italiano, um equilíbrio entre a Farda, a Igreja e o Sindicato. Situação que foi mantida até que após um grave desentendimento entre o peronismo e o alto clero, a Farda, tomando as dores dos sacerdotes, derrubou o regime pelo cruento golpe deflagrado em 16 de setembro de 1955 (quase 400 peronistas foram mortos então)....qualquer semelhança com Vargas.....?!
 A Argentina passou por situação semelhante a do Brasil em relação a existência de um governo militar ditatorial. A Ditadura na Argentina teve início com um golpe militar no ano de 1966. O presidente Arturo Illia, que exercia o cargo legalmente dentro da constituição, foi deposto no dia 28 de junho daquele ano e a partir de então se sucedeu uma série de governos de militares até 1973.
Embora o tempo de vigência da Ditadura na Argentina tenha sido de apenas sete anos, bem menos do que os 21 anos de ditadura militar no Brasil, foi tempo suficiente para as várias atrocidades cometidas pelos governantes autoritários.
Os promovedores da Ditadura na Argentina, em semelhança ao Brasil, a determinavam como Revolução Argentina. Logo após a tomada de poder, entrou em vigor no país o Estatuto da Revolução Argentina que legalizou as atividades dos militares. O intuito dos golpistas era de permanecerem no poder por tempo indeterminado
Ao longo do período de governo militar, três indivíduos ocuparam o poder: o general Juan Carlos Onganía, o general Roberto Marcelo Levingston e o general Alejandro Agustín Lanusse.
EPARAGUAI: GENERAL ALFREDO STROESSNER -Em maio de 1954 o comandante do Exército, general Alfredo Stroessner, tomou o poder, Stroessner fez-se eleger presidente nesse ano e foi reeleito em 1958, 1963, 1973, 1978, 1983 e 1988. Para cada eleição, suspendeu-se por um dia o estado de sítio. Stroessner garantiu seu regime exilando os líderes democráticos, cercando-se de áulicos e controlando diretamente as forças armadas. Aos apelos da Igreja em favor dos presos políticos, reagiu expulsando do país vários sacerdotes. No campo econômico, o Paraguai foi marcado por contrabando e pela inauguração da Usina Hidrelétrica de Itaipu, um projeto brasilo-paraguaio.
Stroessner foi deposto em 3 de fevereiro de 1989 em golpe, liderado pelo general Andrés Rodríguez, que deixou dezenas de mortos. Empossado na presidência, Rodríguez levantou a censura à imprensa, autorizou a volta dos exilados, legalizou organizações políticas, que estavam proibidas e convocou eleições.
Os 35 anos de ditadura militar de Alfredo Stroessner terminaram em 1989 e, apesar de um aumento marcado nas lutas políticas internas em anos recentes, têm tido lugar desde então eleições presidenciais relativamente livres e regulares.
Enfim, temos que pesquisar mais sobre as diversas ditaduras  da América Latina!


Características do Neoliberalismo (princípios básicos):

- mínima participação estatal nos rumos da economia de um país;
- pouca intervenção do governo no mercado de trabalho;
- política de privatização de empresas estatais;
- livre circulação de capitais internacionais e ênfase na globalização;
- abertura da economia para a entrada de multinacionais;
- adoção de medidas contra o protecionismo econômico;
- desburocratização do estado: leis e regras econômicas mais simplificadas para facilitar o funcionamento das atividades econômicas;
- diminuição do tamanho do estado, tornando-o mais eficiente;
- posição contrária aos impostos e tributos excessivos;
- aumento da produção, como objetivo básico para atingir o desenvolvimento econômico;
- contra o controle de preços dos produtos e serviços por parte do estado, ou seja, a lei da oferta e demanda é suficiente para regular os preços;
- a base da economia deve ser formada por empresas privadas;
- defesa dos princípios econômicos do capitalismo.
Críticas ao neoliberalismo

Os críticos ao sistema afirmam que a economia neoliberal só beneficia as grandes potências econômicas e as empresas multinacionais. Os países pobres ou em processo de desenvolvimento (Brasil, por exemplo) sofrem com os resultados de uma política neoliberal. Nestes países, são apontadas como causas do neoliberalismo: desemprego, baixos salários, aumento das diferenças sociais e dependência do capital internacional.
Pontos positivos

Os defensores do neoliberalismo acreditam que este sistema é capaz de proporcionar o desenvolvimento econômico e social de um país. Defendem que o neoliberalismo deixa a economia mais competitiva, proporciona o desenvolvimento tecnológico e, através da livre concorrência, faz os preços e a inflação caírem. 
Exemplos de governos que adotaram políticas econômicas neoliberais nos últimos anos:
- No Brasil: Fernando Collor de Melo (1990 - 1992) e Fernando Henrique Cardoso (1995 - 2003)
- No Chile: Eduardo Frei (1994 - 2000), Ricardo Lagos (2000 - 2006) e Michelle Bachelet (2006 - 2010)
- Nos Estados Unidos: Ronald Reagan (1981 - 1989), George Bush (1989 - 1993) e George W. Bush (2001- 2009)
- No México: Vicente Fox Quesada (2000 - 2006)




QUESTÕES DO ENEM

1ª pergunta:"Estávamos, pois, diante de três alternativas. A primeira ceder aos exaltados e mergulhar na ditadura total (...) A segunda, era desamparar o presidente e deixá-lo a mercê dos que haviam desencadeado a guerrilha de inspiração comunista. A terceira era aceitar um Ato Institucional para conter a contrarrevolução (...)." Depois de participar ativamente do movimento de 1964, uma personagem do cenário político atual, não obstante o diálogo da força, procura dissimular e amenizar a "escolha" tomada em 1968, como a menos dolorosa para o povo brasileiro conforme expressa o trecho anterior. Responda:
a) Indicando a "alternativa" que prevaleceu.
b) Quem era o presidente militar que governava o Brasil em 1968
?
c) Procure caracterizar as implicações e os desdobramentos políticos que decorreram daquela decisão tomada.
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

2ªpergunta:"Um povo sempre acusado de abulia e de inaptidão para a vida pública ofereceu, ante a surpresa de observadores locais e estrangeiros, o espetáculo de seu próprio talento para se organizar e manifestar, com responsabilidade, energia e imaginação. A tudo isso, congressistas cujos nomes publicamos nesta mesma página disseram não. Evitemos insultar a memória do passado e as gerações de amanhã chamando-os congressistas: são representantes de si próprios, espectros de parlamentares, fiapos de homens públicos, fósseis da ditadura." ("Folha de S. Paulo" apud PILETTI, p. 190) Da análise do texto e dos conhecimentos sobre as modificações políticas ocorridas no Brasil contemporâneo, pode-se afirmar:
(01) A movimentação popular referida no texto diz respeito à campanha pelas "diretas já".
(02) Os parlamentares foram criticados pela Folha de S. Paulo porque apoiaram, em maioria, a emenda Dante de Oliveira.
(04) As "diretas já" não foram aprovadas em 1984, porque a maioria dos deputados oposicionistas não compareceu à votação.
(08) A Constituição de 1967 estabelecia que o Presidente da República fosse eleito indiretamente por um colégio eleitoral. (16) Em 1984, o congresso que deveria escolher o primeiro presidente civil, após vinte anos de ditadura militar, teve sua legitimidade contestada pelos democratas. (32) Os congressistas referidos no texto como "espectros de parlamentares, fiapos de homens públicos, fósseis da ditadura" derrotaram o candidato da Aliança Democrática, em 1985. Soma ( )
resposta:01 + 08 + 16 = 25
3ªpergunta:Ao longo das décadas de 70 e 80, deste século, diversos conflitos marcaram a América Latina em sua participação nos acontecimentos recentes do mundo contemporâneo. Sobre esses conflitos, é correto afirmar-se que no(a):
a) Panamá, em 1989, a posse de Manuel Noriega, aliado politicamente aos Estados Unidos, permitiu o cancelamento do acordo firmado anteriormente entre esses países, o qual previa a devolução da "zona do canal" à soberania panamenha.
b) Caribe, as intervenções militares norte-americanas encerram-se com a adoção da política de defesa dos direitos humanos durante a presidência de Jimmy Carter nos Estados Unidos, entre 1977-1980.
c) Chile, a coalizão de forças operárias e camponesas lideradas pelo líder socialista Salvador Allende derrubou, em 1973, o regime militar que há décadas governava o país.
d) Nicarágua, a Revolução Sandinista, em 1979, vitoriosa contra a ditadura de Anastácio Somoza, instituiu um governo de tendência socialista apoiado pelo regime cubano, desestabilizando politicamente a América Central.
e) Argentina, a reconquista das Ilhas Malvinas (Falklands) após a vitória na guerra contra a Inglaterra, em 1982, ampliou a base popular do governo militar, favorecendo sua permanência no poder até os dias atuais.
resposta:[D]
4ªpergunta:A respeito da história contemporânea do Chile, julgue os itens que se seguem. (0) Quando presidente, Salvador Allende estatizou várias indústrias e acelerou o processo de reforma agrária, o que deu a seu governo características claramente socialistas.
(1) No início da década de 70, o Chile acolheu vários exilados brasileiros, ideologicamente identificados com a esquerda e perseguidos pela ditadura militar.
(2) O presidente Augusto Pinochet, sucessor de Allende, deu continuidade à política socialista, constituindo-se, além disso, em um dos principais defensores dos direitos humanos na América Latina.
(3) Os Estados Unidos mantiveram-se afastados da política chilena, exceção feita à contribuição da CIA na contenção das forças radicais de direita, no final do governo Allende.
resposta:V V F F
5ªpergunta:"Artistas moviam a terra Com seu choro e partiam Nascíamos em anos intermináveis Filhos de árvores cortadas Fomos silêncio sem saber A geração do nada Que ressuscitou sem morrer." (GERAÇÃO PERDIDA - Daniela Mercury / Ramon Cruz / Toni Augusto) Os versos acima se referem à geração brasileira que nasceu durante o período da Ditadura Militar instituída pelo Movimento de 64. Sobre este período afirma-se: I - A censura aos meios de comunicação e a propaganda do Estado, a favor do regime militar, dificultaram o desenvolvimento do espírito crítico e a consciência e participação política da nova geração. II - Os "anos intermináveis" chegaram ao fim quando, após grande campanha popular, foi eleito, por voto direto, um presidente civil: Tancredo Neves. III - Os atos institucionais baixados pelos militares, sobretudo o AI-5, foram responsáveis pelo silêncio, exílio, mortes e pela alienação política, aos quais a música se refere. Dessas afirmações,
a) I, II e III estão corretas.
b) I e III estão corretas.
c) I e II estão corretas.
d) II e III estão corretas.
e) somente a III está correta.
resposta:[B]


6ªpergunta:Em 13 de dezembro de 1968, o governo brasileiro promulgou o Ato Institucional n.o 5, que, segundo opiniões da época, transformava o regime militar em uma ditadura "sem disfarces".
a) Qual o pretexto utilizado pelo regime militar para editar este Ato?
b) Cite duas das principais medidas adotadas por esse Ato.
c) Caracterize dois elementos da democracia que a diferenciam da ditadura.

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
7ªpergunta:"Um dos fatos mais importantes destes anos da década de 70 foi, sem dúvida, uma tragédia: a insurreição militar que em 11 de setembro de 1973 derrubou o governo democrático de Salvador Allende e mergulhou o Chile num banho de sangue." (Eduardo Galeano. "As veias abertas da América Latina".) Este acontecimento relaciona-se:
a) aos golpes de Estado promovidos pelos militares em países latino-americanos, com apoio dos Estados Unidos, na defesa de seus privilégios econômicos no continente.
b) ao projeto de integração latino-americana promovido pela OEA, que possuía o direito de intervenção nos países onde o governo favorecesse interferências norte-americanas na economia.
c) à política de militarização dos países da América Latina, que visava promover a integração econômica por intermédio da ALALC e impedir a internacionalização socialista de Cuba.
d) à política de direitos humanos dos Estados Unidos, que auxiliava os setores militares latino-americanos a incrementar a indústria nacional e promover reformas sociais nas áreas mais carentes do continente.
e) às ditaduras militares impostas por intermédio de golpes de Estado em países latino-americanos, que visavam impedir a interferência de potências estrangeiras e nacionalizar a economia.
resposta:[A]
8ªpergunta:Durante o regime militar no Brasil (1964-1985), a oposição à ditadura também se expressou por meio da arte (música, literatura, cinema, teatro). Comente a afirmação, dando, pelo menos, dois exemplos dessas formas artísticas de expressão.
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

pergunta:Grandes nomes da MPB utilizaram a história contemporânea do país como tema. Algumas músicas ficaram associadas a determinados momentos políticos ou sociais da vida brasileira. A que fatos da vida brasileira ficaram associadas ou fazem referência estas três composições: - "Prá não dizer que não falei de flores" (Geraldo Vandré) - "O bêbado e o equilibrista" (Elis Regina - Letra: João Bosco / Aldir Blanc) - "Coração de Estudante" (Milton Nascimento - Letra: Milton / Wagner Tiso)
a) A ditadura militar, movimento pela Anistia, Diretas Já. X
b) Movimento estudantil, movimento dos sem-terra, violência policial.
c) A primeira trata do período militar, as outras duas da década de 50 - período desenvolvimentista.
d) As três são composições da década de 80 e marcam o fim do período militar.
e) A ditadura militar, questão racial, movimento estudantil.
resposta:[A]
10ªpergunta:Sei que ainda vou voltar Para o meu lugar Foi lá E é ainda lá Que eu hei de ouvir cantar Uma sabiá (Sabiá, de A.C. Jobim e Chico Buarque) Vem, vamos embora Que esperar não é saber Quem sabe faz a hora Não espera acontecer (PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DE FLORES OU CAMINHANDO, de Geraldo Vandré) Estávamos em 1968 e os ânimos acirrados. A disputa entre as duas composições era mais que o resultado do festival nacional de canção popular. A ditadura militar pouco depois introduziu o Al-5 ao texto da Constituição. Entre as medidas drásticas adotadas pelo Al-5, podemos citar a(o):
a) dissolução do CGT (Comando Geral dos Trabalhadores), das Ligas Camponesas e da UNE (União Nacional dos Estudantes).
b) Lei de imprensa, a Lei de Segurança nacional e a dissolução dos Partidos Políticos.
c) eleição do presidente da República pelo Congresso e a criação do CCC (Comando de Caça aos Comunistas).
d) criação de dois poderes paralelos: um civil (Congresso) e um militar, composto pelas forças armadas.
e) fim das imunidades parlamentares e a instituição da prisão perpétua e da pena de morte.
resposta:[E]
11ªpergunta:Em uma fase da ditadura militar, o Brasil experimentou um desenvolvimento acelerado da economia que ficou conhecido como o "Milagre Econômico Brasileiro". Entretanto, no final do governo do general Emílio Garrastazu Médici, a "Crise do Milagre Econômico" já havia começado. Identifique e explique dois aspectos que estão associados a essa crise.
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
12ªpergunta:"Nesses 25 anos, acompanhei com entusiasmo cada fase da vida política nacional. Depositei fé no país em momentos como as Diretas Já, em 1984. Vibrei com a eleição, mesmo indireta, de Tancredo Neves e chorei com sua morte. No Plano Cruzado, fui fiscal do Sarney e fiquei nas filas do leite e da carne. Meu maior momento de descrença e pessimismo foi o confisco da poupança, promovido pelo assaltante que se instalou no Planalto. No ano passado fui para as ruas pedir sua saída." Sobre o período relatado no texto (1968-1993) é correto afirmar que
a) a campanha das Diretas Já foi desencadeada após a morte de Tancredo Neves como reação à posse de José Sarney.
b) a Emenda Dante de Oliveira foi votada e rejeitada pelo Congresso em Brasília, com a capital sob estado decretado de emergência.
c) o confisco da poupança como parte do plano de estabilização da moeda pelo governo Collor foi a causa imediata do movimento pelo seu impeachment.
d) o voto direto para Presidente da República, retirado do cidadão brasileiro pelo Estado Novo, só lhe foi restituído pela Constituição de 1988.
e) o período da Ditadura Militar, tal como o da Ditadura Vargas, foi resultante de um golpe de Estado articulado pelo imperialismo norte-americano.
resposta:[B]
13ªpergunta:Em setembro de 1970, durante um período caracterizado pela proliferação de ditaduras na América Latina, Salvador Allende elegeu-se presidente do Chile como candidato da Unidade Popular. Ao fim de seu governo, tragicamente antecipado por um golpe militar que lhe tirou a vida em setembro de 1973, a experiência chilena de construção do socialismo através do voto e do respeito às premissas constitucionais transformou-se em exemplo para especialistas em todo o mundo. Um dos motivos do fracasso da via chilena para o socialismo foi:
a) a divisão nas forças políticas de esquerda, que permitiu o fortalecimento de um legislativo conservador
b) o apoio dado pelos EUA, que financiaram a eleição de Allende através do programa Aliança para o Progresso
c) a falta de apoio dos operários das minas de cobre, que eram a principal força do movimento operário no Chile
d) o caráter reformista do governo de Allende, que se baseou no combate à inflação através do congelamento de salários
resposta:[A]
14ªpergunta:Em 1968, o governo militar do Presidente Costa e Silva editou o Ato Institucional n.o5 (AI-5) com o objetivo de combater a subversão, sob pretexto de defender a "segurança nacional". Sobre este mecanismo jurídico do regime autoritário, é correto afirmar:
a) foi aprovado com apoio total do Congresso Nacional, já que expressava a convicção geral de que a luta armada precisava ser derrotada.
b) submetia ao Congresso todas as decisões do Presidente, evitando assim os desmandos que tinham levado o País ao caos e à ditadura.
c) apesar de ter fechado o Congresso e suspendido o processo eleitoral, tornou a tortura e a perseguição aos comunistas em crimes inafiançáveis.
d) permitia uma concentração de poder ainda maior nas mãos do Executivo, favorecendo a tortura e a ação de grupos paramilitares de perseguição aos comunistas.
resposta:[D]
15ªpergunta:"Eu briguei, apanhei, eu sofri, aprendi / eu cantei, eu berrei, eu chorei, eu sorri / eu saí pra sonhar meu país / e foi tão bom, não estava sozinho / a praça era alegria sadia / o povo era senhor / e só uma voz, numa só canção / e foi por ter posto a mão no futuro / que no presente preciso ser duro / que eu não posso me acomodar / quero um país melhor." A letra da música "Carta à República", de autoria de Mílton Nascimento e Fernando Brant, embora seja ainda adequada à atualidade, é expressão da resistência à ditadura militar e da luta pela democratização política do Brasil nos anos 80. Sobre esse período, é correto afirmar: I. A partir do final dos anos 70, os movimentos sociais, tanto do campo quanto da cidade, deram novo impulso às atividades sindicais, liderados, principalmente, pela CUT, UNE, MST, CONTAG e partidos políticos de oposição à ditadura. II. A anistia aos presos políticos e aos exilados resultou de uma ampla campanha popular, vitoriosa em 1979, possibilitando a conquista do pluripartidarismo nos anos 80. III. A partir dos últimos meses de 1983, intensificou-se a campanha pelas eleições diretas para presidente da República, tornando-se vitoriosa com a aprovação da emenda Dante de Oliveira, em abril de 1984. IV. A vitória eleitoral de Tancredo Neves, por eleição direta, resultou de uma aliança política entre liberais descontentes com a ditadura militar e a totalidade dos oposicionistas de esquerda. Está(ão) correta(s)
a) apenas I e II.
b) apenas I, II e III.
c) apenas IV.
d) apenas III e IV.
e) I, II, III e IV.
resposta:[A]
16ª pergunta:A respeito do panorama sócio-cultural no Brasil entre os anos 1970/1979, assinale a alternativa INCORRETA.
a) Para encobrir sua face cruel, os governos militares gastavam milhões de cruzeiros em propaganda demagógica destinada a melhorar sua imagem junto à população, divulgando slogans, tais como "Brasil-ame-o ou deixe-o" que, na prática, significava "apóie o regime militar ou abandone o país".
b) O tricampeonato mundial de futebol, conquistado pelo Brasil em 1970, no México, foi exaustivamente explorado pelo sistema de propaganda do governo, para a criação de um clima de euforia e ufanismo. A exploração deste clima procurava mascarar a repressão, a censura e a tortura, praticados pelo governo Médici.
c) Neste período não existiram movimentos de contestação ao regime militar, pois as associações de bairros, os grupos de jovens, os clubes de mães, os círculos bíblicos, o Movimento do Custo de Vida e os metalúrgicos do ABC paulista só puderam expressar sua insatisfação com a abertura, criada pela Nova República.
d) As músicas "Eu Te Amo, Meu Brasil" e "Você Também É Responsável" (exaltando o MOBRAL) da dupla Don e Ravel, contribuíam para o clima nacionalista-ufanista da época.
e) A imprensa alternativa, representada pelos jornais "Pasquim, Opinião e Movimento e O Sol", constituiu importante espaço de crítica à ditadura militar e de defesa das liberdades democráticas.
resposta:[C]


17pergunta:" ... a lei da produtividade decrescente dos recursos não-renováveis", e também dos renováveis, levou os governos do período da Ditadura Militar no Brasil a elaborar uma política energética cujos fatos mais mercantes foram
a) a construção da Companhia Siderúrgica Nacional e a criação da Petrobrás.
b) a restrição à produção de carros com motor a álcool e a construção da hidrelétrica de ltaipu.
c) a campanha "O petróleo é nosso" e a privatização da Eletrobrás.
d) o incentivo ao transporte coletivo e a melhoria do transporte de carga ferroviário.
e) o Programa Nacional do Álcool e a construção da Usina Nuclear em Angra dos Reis.
resposta:[E]ª
18ªpergunta:Leia atentamente as afirmações abaixo sobre as transições na Argentina, Chile e Uruguai e assinale a afirmativa correta. I. Assim como no Brasil, a transição dessas Ditaduras à Democracia deu-se sob controle militar, com pactos de eleições indireta e anistia recíproca. II. As vitórias, em eleições diretas, de Alfonsin em 1983, Sanguinetti em 1984 e Aylwin em 1989 são os marcos da retomada democrática pós-ditatorial nesses países. III. Julgados e condenados pela justiça civil, seis militares, oficiais superiores argentinos, foram condenados por violação aos Direitos Humanos durante a Ditadura e indultados, posteriormente, pelo governo Menem. IV. A Lei de Caducidad de la Pretensión Punitiva del Estado, que anistiava os responsáveis por crimes durante a ditadura uruguaia, passou por um plebiscito (referendum) no qual foi aprovada, impedindo oficialmente o conhecimento e a responsabilização dos militares criminosos. V. O apoio de todos os setores políticos chilenos a Pinochet impede o conhecimento da verdade sobre a Ditadura e o julgamento de militares criminosos até hoje.
a) apenas I, III e V estão corretas;
b) apenas I, II e IV estão corretas;
c) apenas II, III e IV estão corretas;
d) apenas II, III e V estão corretas;
e) apenas III, IV e V estão corretas.
resposta:[C]
19ªpergunta:Leia as afirmativas abaixo sobre o Regime Militar no Brasil (1964-1985).
I- Houve relação estreita entre a instauração da ditadura militar brasileira em 1964 e o processo de militarização na América do Sul, configurando um período de fechamento político no Uruguai, na Argentina, no Paraguai e no Chile, entre outros.
 II- Há evidências do apoio, da simpatia, da aprovação e da atuação indireta e ostensiva do governo norte-americano na preparação e organização do golpe de Estado que depôs o governo de Jango em 1964.
 III- O regime militar extinguiu os partidos políticos e instituiu duas novas agremiações: a Aliança Renovadora Nacional - ARENA - e o Movimento Democrático Brasileiro - MDB. Com elas, tentou legitimar o regime ditatorial com um bipartidarismo artificial e manter o Congresso Nacional funcionando sob seu comando.
IV- O Governo do General Ernesto Geisel iniciou a distensão lenta, segura e gradual do regime político e lançou o II Plano de Desenvolvimento Econômico, que estimulava e ampliava significativamente os investimentos nas empresas estatais do país. Quais estão corretas?
a) Apenas IV.
b) Apenas I, II e III.
c) Apenas I, II e IV.
d) Apenas II, III e IV.
e) I, II, III e IV.

resposta:[E]
20ªpergunta:Observe atentamente os dois cartuns de Ziraldo.
O cartunista ironiza alguns aspectos da política governamental do período da ditadura militar no Brasil. Observando os seus detalhes, pode-se afirmar que os cartuns revelam
a) as contradições da política governamental que, apesar da repressão à liberdade de manifestação e expressão, se baseava nos princípios de igualdade social, promovendo a distribuição eqüitativa da renda.
b) a intolerância do governo em relação à oposição e a utilização da conquista do tricampeonato para encobrir as desigualdades sociais, oriundas do modelo econômico adotado.
c) que a "repartição do bolo", apregoada pelos idealizadores do modelo econômico do regime, foi concretizada, motivo pelo qual os brasileiros saíram às ruas para grifar frases como "Brasil: ame-o ou deixe-o".
d) que os brasileiros comemoraram com ardor o tricampeonato mundial de futebol, num clima de fraternidade, onde até mesmo os setores oposicionistas saudaram o esforço do governo para alcançar essa vitória.
e) que o governo respeitou as diferenças ideológicas que existiam no interior da sociedade brasileira, o que garantiu a execução das medidas econômicas de promoção da igualdade econômica.
resposta:[B]

21ªpergunta:x"A anistia, portanto, não é apenas um reencontro de pessoas. É também uma luta onde trabalhadores, estudantes e intelectuais, profissionais liberais, bancários, comerciários e todos os que se movem hoje no Brasil, vão se encontrar para trocar suas idéias, para juntar suas forças. Anistia é união. Unir brasileiros já em um passo da luta contra a ditadura que desde 64 não busca outra coisa a não ser a separação, seja pela morte, seja pela cadeia, seja pelo exílio ou mesmo pela desconfiança, o medo e a delação. (Fernando Gabeira, 1978) Sobre a anistia política brasileira pós-64, é INCORRETO afirmar que:
a) A lei de anistia, de agosto de 1979, não respondeu efetivamente aos interesses dos familiares de desaparecidos políticos, na medida em que não instituiu a obrigação do Estado em reconhecer seus crimes e apurá-los;
b) A lei de anistia, de agosto de 1979, possibilitou o retorno de muitos exilados e banidos políticos, entre estes o educador Paulo Freire, o ex-governador Leonel Brizola e o dirigente comunista Luís Carlos Prestes;
c) As lutas pela anistia política reuniram diferentes grupos sociais em prol da reorganização da vida democrática no Brasil;
d) Foi resultado apenas da vontade civil-militar da ditadura, que fez dela um marco do momento de abertura lenta e gradual proposta por Geisel;
e) A lei de anistia, de agosto de 1979, excetuou de benefícios os que foram condenados por crimes de terrorismo, assalto, seqüestro e atentado pessoal".
resposta:[D]
22ªpergunta:A ditadura militar chefiada por Pinochet foi um dos regimes políticos mais brutais da história da América Latina. Os militares caçavam os opositores políticos como se fossem animais. Qualquer suspeito de ser militante socialista ou comunista era preso e barbaramente torturado. Mario Schmidt Dentre as razões para a implantação da Ditadura de Augusto Pinochet podemos indicar:
a) a firme decisão do governo dos Estados Unidos em deter a qualquer custo o que parecia ser "o avanço do comunismo internacional" promovido pela Revolução Sandinista na Nicarágua.
b) a crise política desencadeada pela vitória do candidato populista do Partido Justicialista, Juan Domingos Perón, que pretendia fortalecer os sindicatos e aumentar os salários dos trabalhadores.
c) a deposição do general Manuel Antonio Noriega, acusado de ter ligações com o tráfico internacional de drogas.
d) a não aceitação por parte de grandes empresários e do governo norte-americano das reformas sociais e econômicas realizadas pelo governo socialista de Salvador Allende.
e) o auto golpe promovido pelo presidente Alberto Fujimori, que fechou o Congresso e tomou em suas mãos todos os poderes nacionais, ignorando a constituição e anulando direitos.
resposta:[D]
23ªpergunta:Operação Condor foi o nome dado ao plano integrado de repressão aos opositores das ditaduras militares-civis implantadas na América Latina durante os anos 60 e 70. Este operativo transnacional, dos serviços de inteligência e das polícias políticas, foi responsável por muitas prisões ilegais, torturas, seqüestros e desaparecimentos de cidadãos de diferentes países deste continente. Participaram ativamente da Operação Condor os seguintes países:
a) Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai;
b) Argentina, Bolívia e Chile;
c) Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai;
d) Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Peru e Paraguai.
e) Brasil, Bolívia, Chile e Paraguai;
resposta:[A]
24ªpergunta:Leia atentamente as afirmações abaixo, sobre o Tenentismo, e assinale a alternativa correta. I. O Movimento Tenentista (1922-1927) obteve, ao longo de sua marcha de sul ao norte do país, amplo apoio popular, destacando-se a adesão de operários anarquistas e socialistas à marcha. II. Os únicos sobreviventes do Levante do Forte de Copacabana (1922) foram os tenentes Antônio Siqueira Campos e Eduardo Gomes, que se tornou, décadas depois, ministro da Aeronáutica da Ditadura Militar. III. O Tenentismo representou um descontentamento das camadas médias urbanas com a política excludente das oligarquias cafeeiras. IV. É no campo do chamado Movimento Tenentista que emerge o mito do Cavaleiro da Esperança, atribuído a Luís Carlos Prestes, comandante de importante coluna que percorreu 25 mil quilômetros através de 13 Estados do país. V. Os tenentes tinham um plano claro e objetivo para a tomada do poder e o estabelecimento de uma nova ordem social com ampla participação popular.
a) Apenas as afirmações I, III e V estão corretas;
b) Apenas as afirmações II, III e IV estão corretas;
c) Apenas as afirmações II, III e V estão corretas;
d) Apenas as afirmações I, III e IV estão corretas;
e) Apenas as afirmações III, IV e V estão corretas.
resposta:[B]

25ªpergunta:"Estoy aqui de passagem/ Sei que adiantei/ Um dia vou morrer/ De susto, de bala ou vício/ No precipício de luzes/ Entre saudades, soluço/ Eu vou morrer de bruços/ Nos braços de uma mulher/ Mas apaixonado ainda/ Dentro dos braços da camponesa/ Guerrilheira, manequim/ Ai de mim/ Nos braços de quem me queira/ Soy loco por ti, América/ Soy loco por ti de amores." ("Soy loco por ti", América,Gilberto Gil/Capinam, 1968.) A década de 1960 foi marcada por uma intensa movimentação política e cultural na qual a participação dos jovens foi decisiva e registrada em diversos países do mundo. A esse respeito, é CORRETO afirmar:
a) A contestação foi essencialmente econômica e secundariamente política e cultural, como pode ser exemplificado pela Revolução Cultural chinesa e pela revolta dos estudantes na França, em 1968, movimentos contrários a qualquer culto a personalidades.
b) A vitória da Revolução Cubana não influenciou a juventude latino-americana devido ao embargo econômico e à política de isolamento sustentada pelos Estados Unidos contra o regime de Fidel Castro.
c) A juventude estudantil brasileira manteve-se distante do processo político até o final de 1968, quando passou a organizar diversas manifestações de massas contra o regime militar.
d) A América Latina tornou-se uma das únicas regiões não contaminadas pela Guerra Fria, graças ao estabelecimento de ditaduras militares e regimes nacionalistas refratários a qualquer vinculação com os Estados Unidos ou com o bloco soviético.
e) Liberdade sexual, contracultura, revolução social, apologia à juventude e oposição à Guerra do Vietnã foram elementos da contestação dos anos sessenta.
resposta:[E]

Descrição: http://professor.bio.br/historia/imagens/questoes/5979.jpg26ªpergunta:
(Nosso Século. São Paulo: Abril Cultural, 1980.) Os desenhos que retratam Getúlio Vargas sugerem mudanças nas suas opções políticas ou ideológicas, ao longo das décadas de 1930 e 1940. Pode-se dizer que, na seqüência de 37 a 45, eles caracterizam, respectivamente:
a) simpatia pelo fascismo e aproximação com a Alemanha - aliança com os EUA e afastamento do Eixo - guinada à esquerda e fundação do PTB
b) nacionalismo e intervencionismo estatal - apoio ao imperialismo norte-americano e fundação de novos partidos - internacionalismo e criação da CLT
c) influência do peronismo e aproximação com a Argentina - militarismo e disputa por hegemonia na América Latina - aliança com Prestes e apoio dos comunistas
d) ditadura estadonovista e aproximação com o fascismo italiano - populismo e estatização de empresas - apoio à política stalinista para a América Latina e legalização do PCB
resposta:[A]

27ªpergunta:Antes da Revolução de 1959, os cubanos sofreram com o agudo processo de concentração de renda e terra, e com o aumento do desemprego. A miséria crescia entre os trabalhadores da agricultura e os migrantes alojados nas periferias das grandes cidades. Neste período, outros fatores contribuíram para agravar a conjuntura que levou Cuba à Revolução, tais como:
 I - o estabelecimento de acordos econômicos e militares do governo cubano com a URSS, visando à organização de uma base estratégica do socialismo na América Latina.
II - a ampliação dos investimentos externos na extração dos poucos recursos minerais, no turismo e na produção de cana que transformou Cuba no maior produtor mundial de açúcar.
 III - a diminuição da dependência cultural e do controle dos EUA, o que levou a Ilha a obter maior visibilidade junto aos países latino-americanos e simpatizantes das esquerdas nacionais.
IV - a instalação da ditadura de Fulgencio Batista, a partir de 1952, que estabeleceu um clima de Terror e repressão às oposições, o que correspondia à tensão internacional da Guerra Fria.
V - a abertura irrestrita de concessões aos capitais estadunidenses, que converteu Havana em campo de ação da Máfia americana, da exploração do jogo, do tráfico de drogas e da prostituição. Assinale a alternativa que apresenta os fatores CORRETOS:
a) III, IV, V.
b) I, IV, V.
c) II, III, IV.
d) II, IV, V.
e) I, II, V.
resposta:[D]

28ªpergunta:Texto 1 Meu Brasil ... Que sonha com a volta do irmão do Henfil Com tanta gente que partiu num rabo de foguete Chora a nossa pátria mãe gentil Choram Marias e Clarices no solo do Brasil... João Bosco e Aldir Blanc Texto 2 Eu te amo meu Brasil eu te amo Meu coração é verde amarelo branco e azul anil Ninguém segura a juventude do Brasil Don e Ravel Os trechos das músicas identificam um período da História Brasileira cujas características foram:
a) as idéias liberais e a violência do governo Dutra contra os trabalhadores e partidários do PCB.
b) a exaltação nacionalista e o personalismo do "pai dos pobres", em contraposição aos grupos que visavam à redemocratização do país.
c) a repressão e a ausência de direitos, impostas pela Ditadura Militar por meio de sua proposta ufanista e autoritária.
d) a ideologia do ISEB, legitimando o desenvolvimentismo dos anos JK e a emergência dos centros populares de cultura.
e) o engajamento ao mercado e a temas despolitizados, que marcam o período da Nova República.
resposta:[C]
29ªpergunta:PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES Caminhando e cantando, E seguindo a canção Somos todos iguais, Braços dados ou não. Nas escolas, nas ruas, Campos e construções, Caminhando e cantando, E seguindo a canção. Geraldo Vandré A letra desta música foi escrita no contexto do regime militar, iniciado com o Golpe de 1964. Uma das medidas políticas reveladora do caráter autoritário desse regime está apresentada, corretamente, em:
a) instituição do AI N.o 2, extinguindo os partidos políticos existentes
b) promulgação da Constituição de 1967, abolindo a divisão de poderes
c) supressão do Poder Legislativo, gerando a institucionalização da ditadura
d) criação da Lei de Imprensa, impondo a estatização dos meios de comunicação

resposta:[A]

30ªpergunta:"BRASIL, AME-O OU DEIXE-O." Esse slogan, amplamente divulgado e propagado no auge do período da ditadura militar, criava um clima de ufanismo para:
a) anunciar à população brasileira o firme propósito do governo de promover a distensão política, assim que todos os comunistas deixassem o País.
b) justificar a nova postura dos militares para atrair o apoio da opinião pública contrária ao regime autoritário, abrindo caminho para o processo de abertura política.
c) abrandar os rigores do autoritarismo, permitindo que todos os insatisfeitos com o regime militar abandonassem espontaneamente o País.
d) demonstrar a profunda intolerância do governo com os setores do movimento de oposição, que optaram pela luta armada contra o regime.
resposta:[D]

31ªpergunta:Durante a ditadura militar, Chico Buarque compôs esta música destinada a um amigo exilado, com o intuito de enviar-lhe notícias do Brasil. Analise este trecho da composição: MEU CARO AMIGO. Meu caro amigo eu bem queria lhe escrever / Mas o correio andou arisco* / Se me permitem vou tentar lhe remeter / Notícias frescas neste disco / Aqui na terra tão jogando futebol / Tem muito samba, muito choro e rock n roll / Uns dias chove noutros dias bate sol / Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui está preta / Muita mutreta pra levar a situação / Que a gente vai levando de teimoso e de pirraça / Que a gente vai tomando que também sem a cachaça / Ninguém segura esse rojão // A Marieta** manda um beijo para os seus / Um beijo na família, na Cecília e nas crianças / O Francis*** aproveita pra também mandar lembranças / A todo o pessoal, adeus (* arisco - intratável, que não se pode domesticar; ** Marieta Severo, que, na época, estava casada com Chico Buarque; *** Francis Hime, outro compositor brasileiro) Com base nas informações recebidas a respeito da ditadura militar, assinale a alternativa que representa uma interpretação válida para os versos de Chico Buarque.
a) Chico preferiu escrever uma música a enviar uma carta porque os serviços postais, naquela época, ainda estavam muito atrasados.
b) O compositor não queria entristecer o seu amigo e, por isso, contou-lhe sobre o tempo, música e futebol para ocultar-lhe os problemas do país.
c) Naquela época o autor ainda não tinha tomado consciência das violências cometidas pela ditadura e, por isso, nada falou sobre elas.
d) A violência contra a privacidade e o sigilo da correspondência obrigava o autor a utilizar códigos a serem decifrados pelo amigo.
e) A falta de assunto demonstrada nos versos expressa um certo afastamento afetivo entre os dois, devido à distância que os separava.
resposta:[D]
32ªpergunta:"Em setembro de 1973, apoiadas pelos Estados Unidos, as Forças Armadas deram um golpe militar e depuseram o presidente Salvador Allende, que morreu em combate na sede do governo, o palácio La Moneda, bombardeado por aviões da aeronáutica." ARRUDA, José Jobson de A. e PILETTI, Nelson. "Toda a História - História Geral e do Brasil". São Paulo: Ática, 2002, p. 413. Com base no texto anterior, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).
(01) O texto refere-se ao golpe militar ocorrido na Argentina em 1973, quando os militares comandados pelo Gal. Jorge Rafael Videla assumiram o poder.
(02) O palácio La Moneda , sede do governo peruano, foi construído durante a gestão do socialista Haya de la Torre.
(04) Com a deposição de Salvador Allende por um golpe militar, o Chile passou a ser governado pelo populista Juan Domingo Perón, iniciando o período conhecido como "peronismo".
(08) O golpe militar de 1973 depôs o governo de Salvador Allende, de tendência socialista, dando início a uma longa ditadura militar encabeçada pelo Gal. Augusto Pinochet.
 (16) O apoio dos Estados Unidos ao golpe militar estava relacionado ao temor gerado pelas propostas de profundas reformas do governo Allende, com vistas à criação de uma sociedade socialista no Chile.
(32) O golpe militar, mencionado no texto, foi a forma de os Estados Unidos evitarem que se instalasse no Chile um governo de radicais socialistas, conhecidos como "tupamaros" e liderados por Salvador Allende.
resposta:08 + 16 = 24

33ªpergunta:"Há soldados armados, amados ou não, Quase todos perdidos de armas na mão, Nos quartéis lhes ensinam antigas lições, De morrer pela pátria e viver sem razão. Nas escolas, nas ruas, campos, construções, Somos todos soldados, armados ou não, Caminhando e cantando e seguindo a canção, Somos todos iguais braços dados ou não, Vem, vamos embora que esperar não é saber, Quem sabe faz a hora não espera acontecer." Geraldo Vandré, "Pra não dizer que não falei de flores", 1968 A música de Geraldo Vandré é uma expressão, entre outras, do ambiente político brasileiro após o golpe militar de 1964.
a) Cite duas medidas dos governos militares que restringiram a participação política no período 1964-1968.
b) Apresente duas características que diferenciam o período inicial da ditadura militar (1964-1968) do período compreendido entre 1945 e 1964.
resposta:_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
34ªpergunta:Sobre a música popular brasileira, assinale o que for correto.
(01) O Ato Institucional n¡. 5 atingiu apenas alguns setores da sociedade. A música e o cinema tiveram oportunidade de expressão e divulgação.
(02) A ditadura militar encontrou a cultura brasileira numa fase de grande agitação. Movimentos estéticos e políticos, como o Tropicalismo, liderado, entre outros, pelos compositores Gilberto Gil e Caetano Veloso, propunham uma nova leitura e uma interpretação crítica do país.
(04) Os anos do governo Médici corresponderam, no campo da criação artística, a uma fase de pouca renovação: as restrições às manifestações artísticas dificultaram enormemente a expressão. Por outro lado, predominaram músicas ufanísticas, que procuravam divulgar uma imagem nacional de felicidade e progresso.
(08) A década de 1950 foi marcada por uma série de movimentos que, impulsionados pelo otimismo advindo das transformações sociais e industriais ou pela vontade de conhecer, criticar e interpretar a nova realidade urbana e rural do país, deram novos ares à cultura nacional. Nesse contexto surgiram manifestações como a bossa-nova, um movimento de modernização e internacionalização da música popular brasileira. (16) Enquanto o cinema, esgotada a fase da pornochanchada, produz filmes ligados à nossa realidade, a música popular brasileira se renova, rejeitando compositores tradicionais como Nelson do Cavaquinho, Adoniram Barbosa e Cartola.
resposta:2 + 4 + 8 = 14

35ªpergunta:Os meios de comunicação de massa são veículos ou sistemas de comunicação que atingem muitas pessoas ao mesmo tempo. A divulgação de mensagens em grande escala, a rapidez com que elas são absorvidas e a amplitude do público que atingem criaram o que chamamos de indústria cultural. A respeito da temática envolvendo a comunicação de massa e a indústria cultural na década de 1970, assinale o que for correto.
(01) Edson Arantes do Nascimento, Pelé, abandonou o futebol e, em pleno regime militar, ingressou na política, adotando um discurso de enfrentamento à ditadura.
(02) John Lennon, após deixar os Beatles e afirmar que "o sonho acabou", seguiu carreira solo ao lado de Yoko Ono. No início dos anos 70, morando nos Estados Unidos, Lennon integrou os movimentos ativistas da época e tornou-se um duro crítico do governo de Richard Nixon.
(04) Pouco antes de morrer, Bruce Lee, responsável pela popularização das artes marciais no Ocidente, abandonou a carreira de ator e alistou-se no exército norte-americano, combatendo na Guerra do Vietnã já no período final do conflito.
(08) Al Pacino projetou-se no universo do cinema a partir do primeiro episódio de "O Poderoso Chefão", no qual deu vida a Michael Corleone, filho do personagem central da história, Dom Corleone.
resposta

Nenhum comentário:

Postar um comentário